Porto Velho (RO) terça-feira, 13 de novembro de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Membros da CPI defendem cautela contra novas denúncias


Agência O GloboBRASÍLIA - Dirigentes da CPI dos Sanguessugas defendem cautela com as novas denúncias sobre envolvimento de políticos com a compra superfaturada de ambulâncias. A Polícia Federal prendeu novamente o empresário da Planam, Luiz Antonio Trevisan Vedoin, e seu primo Paulo Roberto Trevisan Vedoin, que venderiam em São Paulo possíveis provas contra políticos tucanos, entre eles o candidato ao governo de São Paulo José Serra (PSDB-SP).Para o presidente da CPI, deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), é preciso "cautela" até mesmo porque a comissão não dispõe desses documentos e não pode basear suas investigações em matérias da imprensa. Segundo Biscaia, a CPI precisa receber a documentação para então verificar o que existe de fato e partir daí ver as providências a serem tomadas.Já o vice-presidente da comissão, deputado Raul Jungmann (PPS-PE), defende cautela nesse momento. Segundo ele, se existem novos documentos é preciso que eles sejam encaminhados à CPI para que os mesmos possam ser analisados. O sub-relator, deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), engrossa o coro e defende calma.- A gente vai ter que examinar essas novas denúncias com calma e ver o que realmente houve e porque elas foram lançadas na véspera das eleições. Estamos no principio dos acontecimentos é preciso aguardar. A gente está procurando ter muita prudência com esse problema que parece eleitora. Vamos esperar a decantação dos fatos para então investigar o que aconteceu - disse Gabeira.Segundo o sub-relator, a CPI não pode entrar nesse esquema que parece eleitoreiro. Para o parlamentar, a credibilidade de Vedoin está em razão dos documentos que ele apresenta à CPI e à justiça.- O fato que aconteceu agora não compromete as investigações da CPI - disse Gabeira.O deputado criticou ainda a atitude de Vedoin:- Ele (Vedoin) está soltando notícias com objetivos financeiros e tentando fazer negócios, além de tentar tumultuar a credibilidade da CPI", disse Gabeira recordando que quando Vedoin fez acusações contra o presidente do Conselho de Ética, deputado Ricardo Izar (PTB-SP), estava tentando tumultuar a credibilidade da CPI".Na semana passada, após depor no Conselho de Ética do Senado, o empresário foi advertido pelo presidente da CPI, deputado Antonio Carlos Biscaia, de que ele não poderia ficar soltando denúncias "a conta gota" e que se ele tivesse alguma outra denúncia ou prova deveria apresentar à CPI ou à justiça. Biscaia disse também a Vedoin que ele estava com o beneficio da delação premiada e que poderia perder esse beneficio caso sonegasse informações ou ficasse soltando novas denúncias pela imprensa.

Mais Sobre Política - Nacional

JUÍZA SUBSTITUTA DE MORO NEGA PEDIDO DE LULA PARA SER INTERROGADO DE NOVO

JUÍZA SUBSTITUTA DE MORO NEGA PEDIDO DE LULA PARA SER INTERROGADO DE NOVO

A juíza federal substituta Gabriela Hardt negou, nesta terça-feira (13), o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que ele

Bolsonaro anuncia o general Fernando Azevedo e Silva para a Defesa

Bolsonaro anuncia o general Fernando Azevedo e Silva para a Defesa

A pasta seria ocupada inicialmente pelo general Augusto Heleno

Projeto de Mariana Carvalho isenta motorista de novos exames dentro da validade da CNH

Projeto de Mariana Carvalho isenta motorista de novos exames dentro da validade da CNH

O exame tem validade de cinco anos para condutores com menos de 65 anos.

Haddad, Ciro, Boulos e os rumos dos progressistas

Haddad, Ciro, Boulos e os rumos dos progressistas

Haddad, Ciro e Boulos precisam decidir se querem dar um passo em frente ou dois passos atrás.