Porto Velho (RO) domingo, 20 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Mantega admite corrigir a tabela do Imposto de Renda


Agência O GloboSÃO PAULO - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, voltou atrás e admitiu nesta terça-feira a possibilidade de correção da tabela do Imposto de Renda da pessoa física para 2007. Sem citar índices de reajuste, Mantega afirmou que o percentual está em negociação com o relator do Orçamento, senador Valdir Raupp (PMDB-RO).- Existe um desejo do relator, e estamos negociando neste momento. Depende de outras concessões, mas é possível que o mecanismo (a atualização da tabela) seja aprovado - disse ele, que no início do mês havia descartado a mudança com o argumento de que não era prioritária para o governo.Segundo Mantega, a correção está condicionada a cor-tes de outros gastos previstos no Orçamento, de forma a compensar a renúncia fiscal com o IR. Raupp propôs ao governo um reajuste de 10% para a tabela em duas parcelas, uma em 2007 e ou tra em 2008. Neste caso, a perda de arrecadação foi es timada em R$ 773 milhões.- No começo, fui contra. Defendia a idéia de que a deso-neração deveria valer para os investimentos. Mas talvez seja possível fazer uma composição. Isso se definirá em breve - disse Mantega.De acordo com o Jornal Nacional, um acordo político costurado no Congresso no fim da noite desta quarta-feira prevê um reajuste de 3% na tabela do Imposto de Renda para o ano-base de 2006 e mais 3% para o ano-base de 2007. Com isso, a faixa de salários isentos do Imposto de Renda sobe de R$ 1.257,12 para R$ 1.294,84.A proposta do senador Valdir Raupp previa a correção de 7% a 10% na tabela.. Os valores para cobrir a perda de arrecadação do governo (R$ 700 milhões), já que correção reduz o imposto descontado dos salários dos trabalhadores, seriam previstos no orçamento do ano que vem. As centrais sindicais também pressionam o governo pela correção. Num movimento em bloco, elas defendem a aplicação de um índice de 7,7%, que zeraria a defasagem em relação à inflação acumulada desde o início do governo Lula. Além da correção na tabela, a centrais vão defender a ampliação das faixas de rendas e do número de alíquotas do IR. A idéia é criar três novas alíquotas, além das duas já existentes, de 15% e 27,5%.Lula já promoveu três ajustes na tabela: de R$ 100 na base de cálculo (para 2004) e correções lineares de 10% (2005) e de 8% (2006).Infra-estruturaO ministro Mantega fez as afirmações depois de almoçar com empresários e representantes de fundos de pensão na Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de Base (Abdib). Durante o encontro, Mantega reafirmou a intenção do governo de zerar o IR de fundos de investimento voltados para projetos de infra-estrutura. O objetivo seria torná-los mais competitivos em relação aos fundos de renda fixa.A medida faria parte do pacote que o governo promete anunciar no próximo mês para destravar o crescimento da economia. Pelas regras em vigor, esses fundos pa-gam hoje alíquota entre 15% e 22%, dependendo do período de resgate dos recursos. A medida também valeria para o fundo de investimento que será criado pela Caixa Econômica Federal, com recursos do FGTS.Perguntado sobre como o governo vai compensar a menor arrecadação, Mantega disse que o pacote também terá medidas visando um ajuste fiscal de longo prazo, com a fixação de limites para os gastos correntes da União. O que não deve entrar neste momento no pacote é a discussão sobre a manutenção ou não da CPMF.- Isso ficará para outro momento - disse Mantega. Inicialmente, a equipe econômica trabalhava com duas possibilidades. Uma era um corte linear e gradual da alíquota, hoje de 0,38%. A outra passava pela eliminação do tributo apenas nas operações de crédito. A CPMF expira em dezembro de 2007.Mantega voltou a dizer que "as condições estão dadas" para uma maior expansão da economia. PIBNesta quinta-feira,, o IBGE divulga o resultado do Produto Interno Bruto ( PIB) no terceiro trimestre do ano. Sem dar detalhes, o ministro da Fazenda antecipou que os investimentos - medidospela taxa de formação bruta de capital fixo - "cresceram bastante no trimestre".

Mais Sobre Política - Nacional

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que