Porto Velho (RO) quinta-feira, 16 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Magistrados fazem lobby minutos antes de CNJ iniciar sessão sobre supersalários


Carolina Brígido - Agência O GloboBRASÍLIA - Pouco antes de começar a sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para decidir a questão dos supersalários no Judiciário, os magistrados ainda se empenhavam para fazer lobby com os membros do CNJ. Um grupo de juízes está, no início da tarde desta quarta-feira, percorrendo gabinetes para tentar convercer os conselheiros de que têm direito de continuar recebendo a remuneração privilegiada.- Tem que ter esperança que existe direito... - disse o presidente do Colégio Permanente dos Presidentes dos Tribunais de Justiça, José Fernandes, que está no CNJ neste momento.Na reunião desta quarta-feira, o CNJ irá decidir que providência tomar contra os Tribunais de Justiça que ainda resistem em cortar os excessos das folhas de pagamento. Os desembargadores ameaçam descumprir a ordem e recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF), caso o conselho não recue da decisão.Na última tentativa de manter os salários acima do teto do funcionalismo, presidentes de tribunais visitaram nesta terça-feira a presidente do CNJ, ministra Ellen Gracie Northfleet, para defender a manutenção das regalias.- Se forem determinados os cortes, eu pessoalmente vou recorrer. É um patrimônio reunido em anos de vida pública - disse o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Celso Limongi, sobre o próprio contracheque.Limongi é um dos 2.978 servidores de 20 tribunais de segunda instância privilegiados com rendimentos superiores ao teto de vencimentos da categoria. Eles deveriam receber, no máximo, R$ 22.111 por mês. No entanto, um levantamento divulgado em novembro pelo CNJ revelou a existência de salários de até R$ 34,8 mil. Limongi recusa-se a revelar o valor de seu salário, mas garante que não é dele o contracheque mais valioso do Judiciário.

Mais Sobre Política - Nacional

 Moro age como se fosse autoridade superior, diz Favreto no CNJ

Moro age como se fosse autoridade superior, diz Favreto no CNJ

O desembargador do TRF-4 Rogério Fraveto, que em 8 de julho determinou a soltura do ex-presidente Lula, decisão que não foi cumprida, disse, em sua de

Grupo Abril pede recuperação judicial

Grupo Abril pede recuperação judicial

O grupo Abril entrou com um pedido recuperação judicial nesta quarta-feira (15); plano de recuperação judicial será mostrado aos credores em até 60 di

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Está revogada a decisão do Carf que havia livrado o banco de pagamento de multa de R$ 26 bilhões por sonegação de impostos; é a maior da história...

Bancários se manifestam em Brasília em defesa de bancos públicos

Bancários se manifestam em Brasília em defesa de bancos públicos

Bancários protestam contra as resoluções da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da Uni