Segunda-feira, 15 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Lula e Alckmin deixam propostas de lado e trocam acusações em debate


Agência O Globo SÃO PAULO - As propostas para governar o país foram deixadas de lado no primeiro bloco do debate entre os candidatos a presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB) na noite deste domingo na TV Bandeirantes. Desde o início, Alckmin e Lula trocaram acusações e cobraram irregularidades nos governos petista e tucano. Logo na primeira pergunta, Alckmin cobrou a origem do dinheiro para comprar um dossiê que seria usado contra candidatos tucanos. - O presidente é o comandante em chefe das Forças Armadas, tem a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), chefe do ministro da Justiça, um dos homens mais bem informados do país. De onde veio o dinheiro sujo, R$ 1,7 milhão em dinheiro vivo, para comprar esse dossiê fajuto? Lula rebateu dizendo que os escândalos dos vampiros e sanguessugas começaram no governo do tucano Fernando Henrique e teriam envolvido o então ministro da Saúde Barjas Negri. O presidente cobrou ainda o número de CPIs engavetadas durante o governo de Alckmin em São Paulo. - O governador deve olhar na cara do povo brasileiro e dizer a verdade. Foram 69 CPIs engavetadas. A maioria do governo não permitiu nenhuma. Não movi um dedo para impedir CPI no meu governo. E se quiser mais, pode fazer mais. Quem não deve não teme. E eu não tenho medo de apurar a verdade. Alckmin, então, disse que as CPIs no governo Lula só começaram após uma denúncia do deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) à imprensa. - Quanta mentira. Como o Lula mudou. As CPIs só saíram por causa de uma denúncia do deputado Roberto Jefferson. Saiu em todos os jornais, revistas. O governo foi derrotado por isso. As CPIs saíram pela força dos fatos, todos comprovados. O mensalão, milhões e milhões de reais em dinheiro vivo, na conta, Valerioduto, BMG, estranhamente o primeiro banco da rede bancária a receber crédito consignado. Lula comparou os feitos do seu governo em comparação com o de Fernando Henrique e disse que a reforma tributária que Alckmin promete não foi votada por pressão dos governadores. - Fomos vítimas da carga tributária aumentada de 25% para 35% no governo anterior. Cortamos praticamente R$ 20 bilhões em desoneração. A proposta de reforma tributária está no Congresso, mas na hora de votá-la eles não quiseram preferindo colocar em prática a chamada guerra fiscal. Alckmin voltou a cobrar a origem do dinheiro do dossiê: - O presidente não sabe de onde veio o dinheiro que daria para um trabalhador que ganha um salário mínimo viver 416 anos. Uma fortuna e não teve nenhuma curiosidade. Pergunta ao seu churrasqueiro, ao diretor do Banco do Brasil, ao seu assessor especial, à sua secretária particular. Olhe nos olhos do povo brasileiro e responda de onde veio o dinheiro.

Gente de OpiniãoSegunda-feira, 15 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Segunda-feira, 15 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)