Segunda-feira, 15 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Jefferson Peres diz que não é preciso prova de propina para cassar mandato


Chico de Gois - Agência O Globo BRASÍLIA - Depois de ouvir as explicações do senador Ney Suassuna (PMDB-PB) no Conselho de Ética do Senado, o relator do processo de cassação, Jefferson Peres (PDT-AM), disse que o depoimento não mudou em nada seu convencimento sobre o caso. Falando em tese, Jefferson Peres disse que o parlamentar pode ter quebrado o decoro sem necessariamente ter cometido um crime. - Não há uma prova cabal de que o senador Suassuna tenha recebido propina. Quanto a isso ele não precisava nem se defender. Não sei se há o que cassar (o mandato), mas não é preciso cometer um ilícito penal - afirmou o relator, que vai apresentar seu relatório na próxima quarta-feira. - Um parlamentar, por suas ações ou omissões, pode praticar quebra de decoro sem necessariamente praticar o ilícito - acrescentou. Suassuna é suspeito de ter recebido R$ 240 mil da máfia dos sanguessugas. Apesar da falta de provas concretas contra o senador, o relator ressaltou que também está sendo investigado seu comportamento como parlamentar. Peres defende que, se a CPI tem provas da participação de Suassuna deve encaminhar o relatório ao Ministério Público e à Polícia Federal. Na opinião do relator, quando o peemedebista soube que sua assinatura foi falsificada em documentos envolvendo recursos vultosos, deveria ter aberto imediatamente uma sindicância e até mesmo inquérito policial em relação ao assunto. - Cada um tem sua maneira de reagir. Não posso julgar os outros por mim. Eu teria imediatamente pedido a abertura de inquérito policial e não apenas o inquérito administrativo no Senado - ressaltou o relator. Em relação à negativa de Suassuna quanto a ter perguntado ao presidente da CPI dos Sanguessugas, deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), se ele não sabia que "90% dos parlamentares tiram uma beirada das emendas ao Orçamento", Peres disse que é inútil fazer acareação entre os parlamentares porque ambos afirmaram com determinação e iriam reiterar o que disseram. - Alguém está mentindo. Ou o senador disse aquilo e está mentindo agora, ou o deputado Biscaia está inventando. Alguém está mentindo e é inútil fazer acareação. É a palavra de um senador contra a de um deputado. Uma acareação não esclareceria - observou.

Gente de OpiniãoSegunda-feira, 15 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Segunda-feira, 15 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)