Porto Velho (RO) terça-feira, 15 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Igreja condena resolução do Conselho Federal de Medicina


O Conselho Federal de Medicina editou resolução em defesa do uso da chamada “pílula do dia seguinte” - medicamento controlado e usado como contraceptivo. A medida despertou a ira da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que repudiou a decisão.

Segundo dom Antônio Augusto, da Comissão Pastoral da Família, a medida abre precedentes para a legalização do aborto e incentiva a extração do feto. Na visão da Igreja Católica, o medicamento é abortivo.

O conselho diz que a pílula não é abortiva. “No conceito religioso, a pílula é abortiva porque, segundo os padres, a vida começa antes da fecundação. Para a medicina não, começa depois”, diz conselheiro Geraldo Guedes.

Fonte: ANDI - (Correio Braziliense – DF, Ullisses Campbell)

Mais Sobre Política - Nacional

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que