Porto Velho (RO) sábado, 19 de janeiro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

IBGE: Comércio deve manter tendência de crescimento em 2007


Agência O GloboRIO - As vendas do comércio varejista devem seguir em crescimento em 2007, prevê o técnico da Coordenação de Comércio e Serviços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Reinaldo Pereira.-A tendência é de crescimento porque a conjuntura econômica está estável, não há nenhum movimento diferente para 2007 em relação a 2006, afirmou.Na avaliação do técnico, os fatores que contribuíram para o aumento do consumo interno nos últimos anos devem ser mantidos, como o aumento da massa salarial e da renda real, o crédito farto e a inflação baixa.-A atividade de comércio vem crescendo, dada à estabilidade da economia, completou.De acordo com os técnicos do IBGE, a queima dos estoques de final de ano contribuiu para a recuperação das vendas do comércio varejista no país em janeiro. No primeiro mês de 2007, o comércio registrou alta de 1,8% em seu volume de vendas em relação ao mês anterior, já descontadas as influências sazonais, após retração de 0,2% em dezembro. Na comparação com o mesmo mês de 2006, o setor apresentou expansão de 8,5%, elevação mais expressiva para um mês de janeiro desde 2001, quando foi iniciada a pesquisa. Em 12 meses, a alta apurada foi de 6,3%.O técnico do IBGE, Reinado Pereira, notou que as condições que têm estimulado o consumo - massa salarial e renda real em alta, juros em queda, inflação baixa, oferta de crédito em expansão e estabilidade no nível de emprego - foram mantidas no primeiro mês de 2007.-O quadro macroeconômico favorável não se modificou. Houve uma queima de estoques, principalmente nos bens duráveis, disse.DestaquesO segmento de móveis e eletrodomésticos foi o destaque de janeiro. Impulsionadas por promoções, suas vendas cresceram 17,5% em relação a dezembro. Além do setor de móveis e eletrodomésticos, em janeiro, cresceram as vendas de tecidos, vestuário e calçados, hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo. O setor de hipermercados, favorecido pela alta na massa de salários, verificou acréscimo de 1,7% de vendas no mesmo tipo de comparação. Os combustíveis e lubrificantes registraram aumento de 2,7%, com a estabilidade dos preços do segmento. Já o segmento de tecidos e vestuário apresentou incremento de 3,1%.A receita nominal de vendas subiu 2% na passagem de dezembro último para janeiro deste ano e registrou acréscimo de 8,3% no confronto com o mês inicial do exercício anterior. Em 12 meses, viu-se acréscimo de 7,2%.-Com os crescimentos de 1,8% e de 2,0% em janeiro, o comércio varejista voltou a registrar resultado positivo em relação ao mês imediatamente anterior, mantendo a tendência de crescimento observada pela evolução da média móvel trimestral, destacou o IBGE na Pesquisa Mensal de Comércio (PMC).O comércio varejista ampliado, que inclui o segmento de veículos, motos, partes e peças e material de construção, apurou expansão de 10,2% no volume de vendas perante janeiro de 2006. Levando em conta essa mesma base, a receita nominal subiu 9,6%. Em 12 meses, verificou-se aumento de 6,9% e 7,7%, na ordem.Também para o economista do HSBC Bank Brasil, Luis Cezário, de forma geral, prossegue a trajetória de crescimento robusto do varejo.

Mais Sobre Política - Nacional

HASTA LA VISTA, BAMBINO

HASTA LA VISTA, BAMBINO

Césare Battisti buscou a proteção de Evo Morales, seu aliado de esquerda.

Jair Bolsanaro assina decreto e  pessoas acima de 25 anos podem ter até 4 armas de fogo

Jair Bolsanaro assina decreto e pessoas acima de 25 anos podem ter até 4 armas de fogo

A partir do decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro hoje (15), no Palácio do Planalto, cidadãos brasileiros com mais de 25 anos poderão compra

O filho de Hamilton Mourão e o irmão de José Alencar: dois casos exemplares

O filho de Hamilton Mourão e o irmão de José Alencar: dois casos exemplares

São casos exemplares que demonstram comportamentos opostos dos governos

Governo de Bolsanaro vai fazer pente fino em 2 milhões de benefícios do INSS

Governo de Bolsanaro vai fazer pente fino em 2 milhões de benefícios do INSS

O governo federal vai fazer uma auditoria em 2 milhões de benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que têm indícios de irregul