Porto Velho (RO) sábado, 31 de julho de 2021
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Falta de seneamento afeta um terço dos moradores das capitais


 Marco Antônio Soalheiro - Agência Brasil 

Brasília - Além de desperdiçarem a água que sai das torneiras, os brasileiros deixam um rastro de sujeira nos rios. O estudo do Instituto Socioambiental (ISA) que traça um panorama do desperdício de água nas capitais do país também mostra uma realidade preocupante em relação à falta de acesso ao saneamento, que afeta quase um terço da população dessas cidades. 

O documento, que será apresentado na próxima quarta-feira (21) em São Paulo, revelará que o saneamento básico segue inacessível para milhões de brasileiros. Mesmo nas maiores cidades, o problema persiste. 

De acordo com o estudo, 30% dos moradores das capitais, o que equivale a pelo menos 13 milhões de pessoas, vivem em moradias sem rede de coleta de esgoto. O quadro é mais grave na região norte, onde apenas 3% dos moradores de Manaus (AM), Belém (PA) e Rio Branco (AC) contam com saneamento. 

A coordenadora da campanha De Olho nos Mananciais, do ISA, Marussia Whately, afirma que a conseqüência da falta de coleta adequada de esgoto aumenta a poluição ambiental. “Uma das principais causas de poluição dos rios é o esgoto lançado sem tratamento. O descaso com a questão nas cidades provoca enchentes e contaminação de mananciais”, destaca. 

Para Marussia, a escassez de saneamento também representa um problema de saúde pública, à medida que aumenta o risco de várias doenças associadas à água. “Cerca de 70% das doenças são de veiculação hídrica, como diarréia dengue e malária, responsáveis pela morte de muitas crianças”, explica.

A especialista defende a ampliação dos recursos destinados à instalação de redes de esgoto e de estações de tratamento de água. “É preciso encarar o saneamento não como gasto, mas como investimento prioritário”, ressalta.

A campanha De Olho nos Mananciais tem um ato público previsto para 2 de dezembro em São Paulo – na Praça Buenos Aires, no bairro de Higienópolis. O local, salienta Marussia, registra um dos maiores consumos per capita de água da capital paulista.

Segundo Marussia, a idéia é levar às pessoas informações sobre a precariedade dos mananciais e conscientizar a população a mudar os hábitos de consumo e a desperdiçar e poluir menos. A iniciativa já ganhou um reforço importante. Segundo o ISA, a modelo Gisele Bündchen cedeu a imagem para peças de divulgação.

Mais Sobre Política - Nacional

Mariana Carvalho defende novas medidas aprovadas pelo Congresso no enfrentamento à Covid-19

Mariana Carvalho defende novas medidas aprovadas pelo Congresso no enfrentamento à Covid-19

A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB-RO) defendeu nesta quinta-feira (2) as medidas que estão sendo aprovadas pela Câmara e pelo Senado no

Relator revisor da MP 924 - Coronavírus, Dep Lucio Mosquini destaca liberação de 5 Bilhões para enfrentamento da crise na saúde

Relator revisor da MP 924 - Coronavírus, Dep Lucio Mosquini destaca liberação de 5 Bilhões para enfrentamento da crise na saúde

O deputado federal Lucio Mosquini é o relator revisor da MP 924/2020, conhecida como MP do Enfrentamento do coronavírus. O Senador Eduardo Gomes també

Deputados federais apresentam no STF pedido de impeachment do ministro Weintraub

Deputados federais apresentam no STF pedido de impeachment do ministro Weintraub

Rede Brasil Atual - Deputados da oposição anunciaram hoje (5) que vão apresentar denúncia no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ministro da Edu