Porto Velho (RO) quinta-feira, 12 de dezembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Estudo aborda tradição da culinária nipônica no Brasil



Compreender as mudanças ocorridas com a tradição da culinária japonesa após o desembarque dos imigrantes no Brasil foi a motivação que levou o Sérgio Hayashi, formado pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP), a desenvolver o estudo "Percepção sobre hábitos alimentares e tradição".

A pesquisa baseia-se no livro "A história da alimentação no Brasil", de Luis Câmara Cascudo, e busca averiguar como ocorrem estas mudanças alimentares, uma vez que o Japão está entre as nações tidas como mais conservadoras. Hayashi, que é sansei (neto de japoneses), presta também uma homenagem aos seus antepassados por ocasião do centenário da imigração japonesa, comemorado em junho deste ano.

"Segundo Câmara Cascudo, já em 1967, quando o livro foi escrito, as famílias brasileiras já haviam abandonado o hábito de reunir-se em torno da mesa para a oração diária antes de cada refeição. Nesta época, já era comum que cada pessoa comesse onde tivesse vontade e, lendo algumas dessas coisas, pesquisei os hábitos alimentares dos japoneses que vivem no Brasil para saber como ocorre este processo", explica o sociólogo.

Durante o estudo, foram entrevistados imigrantes e descendentes de japoneses, entre eles sanseis, nikkeys (termo dado pelos japoneses para designar aqueles que nasceram ou vivem em outros países), e nisseis (filhos de japoneses), que foram indagados acerca de seus costumes alimentares e das mudanças vivenciadas por eles neste sentido.

Ao desembarcarem no Brasil, em 1908, os japoneses - que tinham costume de dormir por volta das 7 da noite - precisaram adaptar seus horários em função do trabalho na lavoura e do funcionamento das escolas, e com isso, conseqüentemente, foram incorporando também os ingredientes típicos brasileiros ao seu paladar, o que ocorre, principalmente, em função do clima tropical.

O estudo, portanto, conclui que houve uma adequação por parte dos imigrantes japoneses na chegada ao país, que era necessária ao seu estabelecimento em terras brasileiras. Do mesmo modo, ao serem questionados sobre sua posição quanto à mistura de ingredientes típicos com o de outras culturas, a maioria dos entrevistados demonstrou não ser assim tão conservador, declarando não ser contra inovações como o uso de maionese ou de manga no sushi, por exemplo.

"Outra informação bastante interessante diz respeito à alimentação dos japoneses desde o Japão. Costumamos acreditar que o sushi e o sashimi, por exemplo, são consumidos diariamente como o nosso arroz e feijão, porém, a comida que os japoneses consomem no dia-a-dia não é nenhuma novidade para nós: os principais são o arroz, o peixe e o lámen, aquele macarrão instantâneo, conhecido como miojo. Sushi e sashimi são para ocasiões especiais, pois a comida no Japão é muito cara", Hayashi.

Fonte: FESPSP

Mais Sobre Política - Nacional

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) cobrou do presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) a votação, antes que encerre o prazo, da Medida Provisórias cri

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Por unanimidade e em ambiente virtual, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) e manteve a decisão, tomada

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Neste ano e meio que ele está preso, não tive condições de viajar a Curitiba e fiquei esperando o amigo sair da prisão para poder falar com ele, certo

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p