Porto Velho (RO) sexta-feira, 17 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Entidades preparam manifesto pela reforma política


Agência O GloboBRASÍLIA - Um dia depois de o ministro das Relações Institucionais, Tarso Genro, dizer que a reforma política não é essencial para a governabilidade, vinte entidades da sociedade civil, entre elas a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Força Sindical e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), anunciam que vão encaminhar na segunda-feira aos três candidatos à presidência da Câmara o "Manifesto Por uma Reforma Política Ampla, Séria e Democrática". O objetivo é reforçar a pressão da sociedade pela aprovação de uma ampla reforma política e apresentar reivindicações aos candidatos.Apesar de o próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmar, no ano passado, logo após eleito, que iria priorizar a reforma política em seu segundo mandato, o ministro disse na última quinta-feira que ela não é essencial para a governabilidade.- O governo Lula não precisa das reformas política e tributária para governar - afirmou Tarso, acrescentando que o governo vai esperar a eleição no Congresso para pedir à Câmara e Senado que apresentem uma agenda para reforma política porque, segundo o ministro, o governo não vai mais coordenar o processo. - Não é uma questão específica do governo Lula. É uma questão do conjunto da sociedade e do conjunto dos partidos. Por isso acreditamos que uma negociação pode ser feita para fazê-la rapidamente.Entidades querem coibir abuso do poder econômico No documento, as entidades afirmam que, diante da estagnação da economia, do acentuado endividamento público do país e do insuportável aumento da carga tributária, que gera imensas desigualdades sociais, a sociedade cobra uma união nacional para realizar uma ampla e urgente reforma das instituições e costumes políticos.Entre as medidas que as entidades reivindicam estão o desbloqueio e a ampliação dos instrumentos de democracia direta e participativa e a correção de graves distorções do sistema de representação popular, citando, entre elas, a irresponsabilidade dos eleitos perante seus eleitores e o abuso de poder econômico durante as campanhas eleitorais.

Mais Sobre Política - Nacional

 Moro age como se fosse autoridade superior, diz Favreto no CNJ

Moro age como se fosse autoridade superior, diz Favreto no CNJ

O desembargador do TRF-4 Rogério Fraveto, que em 8 de julho determinou a soltura do ex-presidente Lula, decisão que não foi cumprida, disse, em sua de

Grupo Abril pede recuperação judicial

Grupo Abril pede recuperação judicial

O grupo Abril entrou com um pedido recuperação judicial nesta quarta-feira (15); plano de recuperação judicial será mostrado aos credores em até 60 di

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Está revogada a decisão do Carf que havia livrado o banco de pagamento de multa de R$ 26 bilhões por sonegação de impostos; é a maior da história...

Bancários se manifestam em Brasília em defesa de bancos públicos

Bancários se manifestam em Brasília em defesa de bancos públicos

Bancários protestam contra as resoluções da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da Uni