Quarta-feira, 24 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Empresa vende passagens em excesso e passageiros perdem cruzeiro


Agência O Globo SÃO PAULO - Passageiros que embarcariam na noite desta sexta-feira num cruzeiro pela costa brasileira no porto de Santos, em São Paulo, ficaram literalmente a ver navios. A empresa que organiza a viagem vendeu mais passagens do que o número de lugares disponíveis e pelo menos 50 pessoas não puderam embarcar. A bagagem dos passageiros já havia sido despachada e eles só vão ter as malas de volta na segunda-feira. A fisioterapeuta Carolina Fusca e o supervisor de qualidade Felipe Ansona planejavam o aniversário de namoro em alto mar. Mas o romantismo deu lugar à frustração. - A gente queria comemorar, descansar, fugir um pouco do cotidiano, do trabalho, da selva de pedra de São Paulo para passear. Agora estamos presos aqui, sem nem ter como voltar pra casa - disse Felipe. O comerciante Nilso Pelate veio de Santa Catarina e viajou mais de 700 quilômetros para se divertir com amigos: mas só metade da turma embarcou. - O pessoal demorou para botar a gente pra dentro. Nessa situação, deixamos as meninas entrarem primeiro e elas ficaram nos esperando. Só que elas estão sem dinheiro, sem cartão de crédito, sem nada - contou. A empresa responsável pela viagem ainda não tem uma explicação para o incidente nem o número exato de turistas que não embarcaram, mas garantiu que ninguém vai ficar na mão e descartou que o motivo tenha sido a venda de mais passagens que lugares. - A gente não trabalha com overbooking. Não sabemos se foi passageiro que chegou tarde, o que aconteceu exatamente. Vamos avaliar. As pessoas que pagaram a tarifa cheia mais a tarifa de embarque, vão ser reembolsadas com outro cruzeiro, caso a empresa seja culpada pelo transtorno - afirmou o representante da Island Cruises-Island Scape, Igor Machado. Os passageiros registraram boletins de ocorrência no posto da polícia e ainda buscavam respostas no terminal. Como não navios a todo momento, o Procon diz que, neste caso, o consumidor pode pedir, não só a passagem de volta, como também uma indenização por perdas e danos. E se por acaso o passageiro decidir por uma outra viagem mais cara, a empresa é obrigada a acomodá-lo sem custo adicional.

Gente de OpiniãoQuarta-feira, 24 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Quarta-feira, 24 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)