Porto Velho (RO) domingo, 20 de janeiro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Deputados paranaenses dobram salário


Ana Paula de Carvalho - Agência O GloboCURITIBA - Por unanimidade, os deputados eleitos do Estado do Paraná aprovaram na última sessão do ano projeto de lei que deve dobrar o salário dos parlamentares a partir de fevereiro de 2007. A remuneração mensal dos deputados no Paraná, que corresponde a 75% do que recebem os deputados federais, deve passar de R$ 9.750 para R$ 18.375, resultado do "efeito cascata" gerado com o aumento dado pelos deputados federais.- Aumentando lá, automaticamente será implantado aqui como em todas as assembléias - justificou o presidente da Assembléia Legislativa do Paraná, Hermas Brandão (PSDB).Assim, os 54 deputados estaduais vão consumir, por mês, uma verba de R$ 1 milhão prevista no orçamento geral do estado. Atualmente, os deputados estaduais recebem ainda um teto de R$ 27 mil para manutenção de seu gabinete, como luz, telefone, correio e viagens.O presidente da Assembléia, que não disputou a reeleição, garante que o orçamento da Casa permite o reajuste.- Temos sobras de recursos - defendeu ele. As despesas da Assembléia Legislativa do Paraná correspondem a 3,2% do orçamento geral do Estado, que prevê uma arrecadação de R$ 18,8 bilhões para 2007.O deputado estadual André Vargas (PT) afirmou que dá como certo o recebimento dos novos honorários.- Passado esse imbróglio, os deputados estaduais não têm outra alternativa a não ser receber o salário - considerou. Ele acusou os promotores públicos de receberem acima do teto.- Enquanto 513 parlamentares vão receber esse reajuste, existem 1.500 promotores que ganham mais do que o teto - alegou.Para o petista, os deputados estaduais não deveriam ganhar menos do que os juízes e promotores de segunda instância.- Tem ministro de Estado que ganha menos do que um secretário do Requião. É uma coisa comparativa - minimizou.Já o líder da oposição na Assembléia, deputado estadual Valdir Rossoni (PSDB), disse que deixou o plenário quando percebeu que a votação seria unânime.- Sou figura de oposição e tenho mil problemas com o poder aqui. Dois ou três eram contra o projeto de aumento e saímos do plenário quando vimos que a votação seria por unanimidade - descreveu. É do Paraná que deve partir uma ação popular contra o aumento concedido pelos parlamentares em Brasília. O jurista paranaense René Dotti e o ex-ministro da Justiça e atualmente coordenador do movimento "Da Indignação à Ação", Miguel Reale Junior, devem entrar na Justiça contra o aumento concedido a deputados e senadores.- Estamos apenas aguardando uma documentação do deputado federal Fernando Gabeira (PV-RJ) para propor uma ação popular - afirmou Dotti.Segundo ele, esta é a única forma da sociedade civil mostrar sua indignação contra o que intitulou "epidemia".- Precisamos nos unir, porque a falta de ética assumiu o poder de forma epidêmica - acusou.Ele afirmou que a ação prevê a suspensão do aumento e ainda pode resultar numa liminar para sustar possíveis pagamentos.- Esse é o momento do cidadão se levantar e se indignar contra essa situação - criticou ele.

Mais Sobre Política - Nacional

HASTA LA VISTA, BAMBINO

HASTA LA VISTA, BAMBINO

Césare Battisti buscou a proteção de Evo Morales, seu aliado de esquerda.

Jair Bolsanaro assina decreto e  pessoas acima de 25 anos podem ter até 4 armas de fogo

Jair Bolsanaro assina decreto e pessoas acima de 25 anos podem ter até 4 armas de fogo

A partir do decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro hoje (15), no Palácio do Planalto, cidadãos brasileiros com mais de 25 anos poderão compra

O filho de Hamilton Mourão e o irmão de José Alencar: dois casos exemplares

O filho de Hamilton Mourão e o irmão de José Alencar: dois casos exemplares

São casos exemplares que demonstram comportamentos opostos dos governos

Governo de Bolsanaro vai fazer pente fino em 2 milhões de benefícios do INSS

Governo de Bolsanaro vai fazer pente fino em 2 milhões de benefícios do INSS

O governo federal vai fazer uma auditoria em 2 milhões de benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que têm indícios de irregul