Porto Velho (RO) domingo, 24 de março de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Cristovam: 'Estou em oposição ao PT, mas não comemoro'


Agência O GloboRIO - O candidato do PDT a presidente, Cristovam Buarque, afirmou nesta quarta-feira que não vai comemorar o surgimento dos recentes escândalos no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em entrevista ao "Bom Dia Brasil", da TV Globo, o candidato, que é ex-petista, classificou o atual cenário como "lamentável" e disse que "o PT se acomodou":- Estou em oposição ao PT, mas não comemoro, pois respinga em nós. O Lula na frente das pesquisas significa que o povo está dizendo que é todo mundo igual. Antes era rouba mas faz. Agora é rouba, mas é um dos nossos. Não comemoro essa tragédia, mesmo que viesse a ter proveito eleitoral. Acho lamentável.O candidato, que foi ministro da Educação do governo Lula, disse que não podia esperar o rumo do ex-partido:- O que está acontecendo hoje, nem eu e nem 99% dos militantes do PT sabia. O que me incomoda no PT de hoje é que ele se acomodou. Nenhum militante protesta conta o fato que está acontecendo. E se acomodou com o governo que não é mais transformador.Para combater a corrupção, Cristovam defendeu o fim da reeleição, a redução em 50% dos cargos comissionados no governo e a transformação da corrupção em crime hediondo.- Precisamos ter políticos e administradores honestos. O meu governo é aquele que mesmo tendo ladrão dentro, ele não consegue roubar. Tem que parar de chamar de corrupção, e chamar de roubalheira. O que vai transformar esse país num país ético é a revolução da educação. Tem que acabar com a profissão de político. Político tem que ser função - desabafou.Durante a entrevista, Cristovam foi questionado sobre o discurso de seu candidato a vice, senador Jefferson Péres, que se despediu da política, dizendo-se desencantado com o Congresso. Em resposta, disse se sentir "orgulhoso":- Eu tenho um vice que é capaz da sinceridade e da franqueza de dizer o que pensa. E mais do que isso. Ele está enojado como qualquer eleitor. Acho positivo para a campanha. Se for eleito, Cristovam disse que vai acabar com dez ministérios e pretende criar uma pasta nova. Porém, não deu detalhes sobre quais seriam as mudanças.-Ao longo da entrevista, o candidato criticou o programa Bolsa Família, carro-chefe do governo Lula.- Hoje em dia, as pessoas dizem: 'Eu recebo essa vida porque minha família é pobre. Se sair da pobreza, eu não recebo mais'.Sobre a questão do gás na Bolívia, o candidato se manifestou contra uma intervenção no país e sugeriu uma busca por novos mercados.- Não vamos apoiar intervenção estrangeira em nenhum país. Nem do Brasil na Bolívia. Vamos buscar alternativas. A Bolívia precisa mais do Brasil para vender gás, do que a gente dela para comprar gás.

Mais Sobre Política - Nacional

Câmara dos Deputados: CCJC aprova projeto de política nacional de prevenção ao suicídio

Câmara dos Deputados: CCJC aprova projeto de política nacional de prevenção ao suicídio

A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB-RO), informou que Câmara dos Deputados, por meio da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC)

Vídeo: Mariana Carvalho comemora a aprovação do seu projeto em que o agressor terá de ressarcir SUS por custos com vítima de violência doméstica

Vídeo: Mariana Carvalho comemora a aprovação do seu projeto em que o agressor terá de ressarcir SUS por custos com vítima de violência doméstica

Projeto da deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO) e do deputado Rafael Motta (PSB-RN) é aprovado no Senado Federal. O projeto determina que o agressor

APROVADO – Agressor terá de ressarcir SUS por custos com vítima de violência doméstica

APROVADO – Agressor terá de ressarcir SUS por custos com vítima de violência doméstica

O Plenário do Senado aprovou, nesta terça-feira (19), projeto que determina que o agressor nos casos de violência doméstica e familiar será obrigado a

Câmara dos Deputados aprova prioridade de matrícula para filhos de mulher vítima de violência

Câmara dos Deputados aprova prioridade de matrícula para filhos de mulher vítima de violência

Proposta permite ao juiz determinar a matrícula ou transferência de dependentes da mulher vítima de violência independentemente da existência de vagaO