Porto Velho (RO) quarta-feira, 21 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Cristovam: 'Estou em oposição ao PT, mas não comemoro'


Agência O GloboRIO - O candidato do PDT a presidente, Cristovam Buarque, afirmou nesta quarta-feira que não vai comemorar o surgimento dos recentes escândalos no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em entrevista ao "Bom Dia Brasil", da TV Globo, o candidato, que é ex-petista, classificou o atual cenário como "lamentável" e disse que "o PT se acomodou":- Estou em oposição ao PT, mas não comemoro, pois respinga em nós. O Lula na frente das pesquisas significa que o povo está dizendo que é todo mundo igual. Antes era rouba mas faz. Agora é rouba, mas é um dos nossos. Não comemoro essa tragédia, mesmo que viesse a ter proveito eleitoral. Acho lamentável.O candidato, que foi ministro da Educação do governo Lula, disse que não podia esperar o rumo do ex-partido:- O que está acontecendo hoje, nem eu e nem 99% dos militantes do PT sabia. O que me incomoda no PT de hoje é que ele se acomodou. Nenhum militante protesta conta o fato que está acontecendo. E se acomodou com o governo que não é mais transformador.Para combater a corrupção, Cristovam defendeu o fim da reeleição, a redução em 50% dos cargos comissionados no governo e a transformação da corrupção em crime hediondo.- Precisamos ter políticos e administradores honestos. O meu governo é aquele que mesmo tendo ladrão dentro, ele não consegue roubar. Tem que parar de chamar de corrupção, e chamar de roubalheira. O que vai transformar esse país num país ético é a revolução da educação. Tem que acabar com a profissão de político. Político tem que ser função - desabafou.Durante a entrevista, Cristovam foi questionado sobre o discurso de seu candidato a vice, senador Jefferson Péres, que se despediu da política, dizendo-se desencantado com o Congresso. Em resposta, disse se sentir "orgulhoso":- Eu tenho um vice que é capaz da sinceridade e da franqueza de dizer o que pensa. E mais do que isso. Ele está enojado como qualquer eleitor. Acho positivo para a campanha. Se for eleito, Cristovam disse que vai acabar com dez ministérios e pretende criar uma pasta nova. Porém, não deu detalhes sobre quais seriam as mudanças.-Ao longo da entrevista, o candidato criticou o programa Bolsa Família, carro-chefe do governo Lula.- Hoje em dia, as pessoas dizem: 'Eu recebo essa vida porque minha família é pobre. Se sair da pobreza, eu não recebo mais'.Sobre a questão do gás na Bolívia, o candidato se manifestou contra uma intervenção no país e sugeriu uma busca por novos mercados.- Não vamos apoiar intervenção estrangeira em nenhum país. Nem do Brasil na Bolívia. Vamos buscar alternativas. A Bolívia precisa mais do Brasil para vender gás, do que a gente dela para comprar gás.

Mais Sobre Política - Nacional

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Implacável para condenar lideranças do PT na República de Curitiba, a Justiça brasileira não mostra o mesmo furor para investigar e julgar os tucanões

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que o anúncio da liberação de saques das contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviç

A solução no Brasil passa por amenizar o atual estágio de “é de direita sou contra” x “se for de esquerda estou contra”

A solução no Brasil passa por amenizar o atual estágio de “é de direita sou contra” x “se for de esquerda estou contra”

A sociedade brasileira vive um processo de antagonismo e radicalização política sem precedentes na história. O radicalismo é tão intenso que beira ao

REFORMA DA PREVIDÊNCIA: "Proposta do relator sobre aposentadoria dos professores ainda não é justa", diz Jaqueline Cassol

REFORMA DA PREVIDÊNCIA: "Proposta do relator sobre aposentadoria dos professores ainda não é justa", diz Jaqueline Cassol

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) criticou a proposta do relator da Reforma da Previdência, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), no que diz