Quarta-feira, 24 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

CPI dos Sanguessugas pode entrar no STF contra PF


Carolina Brígido e Luiza Damé - Agência O Globo BRASÍLIA - O deputado Raul Jungmann (PPS-PE), vice-presidente da CPI dos Sanguessugas, quer entrar com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a Polícia Federal (PF). Ele reclama que, até agora, a CPI não recebeu oficialmente o relatório parcial das investigações policiais sobre a tentativa de compra por petistas de um dossiê contra políticos tucanos. Na ação judicial, seria pedido que a PF enviasse o documento imediatamente à comissão. - Isso configura um crime e um verdadeiro desrespeito ao nosso trabalho. Estamos diante de um caso de obstrução da investigação por parte da Polícia Federal. Eles não nos enviaram nenhuma folha de papel. O relatório que eu tenho aqui foi me entregue pela imprensa. Nem sei se é verdadeiro - acusou o deputado. Já a PF diz que o juiz da 2ª Vara Federal de Cuiabá (MT), Jeferson Schneider, orientou a instituição a não repassar dados da investigação diretamente à CPI dos Sanguessugas. Segundo a assessoria, a CPI deve pedir ao juiz as informações, que só seriam entregues ao presidente da comissão, Antônio Carlos Biscaia (PT-RJ). A assessoria da PF negou que as investigações sejam lentas, mas afirmou que não entraria em polêmica com o deputado. Jungmann anunciou que apresentará a sugestão ao presidente da CPI, deputado Antônio Carlos Biscaia (PT-SP). Caberá a Biscaia decidir entrar com a ação, em nome da comissão. O parlamentar também deverá propor que a CPI se reúna nesta segunda-feira, dia 23, para discutir sobre a possibilidade de não interromper o trabalho durante a semana. Jungmann quer que alguns investigados prestem depoimento antes do segundo turno - entre eles, Abel Pereira, que é ligado ao ex-ministro da Saúde, José Serra. Jungmann também reclamou que o relatório da PF foi vazado à imprensa antes mesmo de chegar às mãos dos parlamentares da comissão. Ele ressaltou que o documento divulgado está incompleto, pois não traz os anexos com as transcrições de conversas telefônicas gravadas e cruzamentos de dados obtidos com quebras de sigilo. - Foi vazado só o que era de interesse? - questionou. Para o deputado, a demora em enviar o relatório à CPI colabora para atrasar ainda mais as investigações sobre a tentativa de compra do dossiê. - É do interesse de todos nós a elucidação dos fatos antes do segundo turno. Esse atraso só ajuda os criminosos. Só interessa a quem comete o crime ou a que se predispõe a ocultá-lo - opinou Jungmann.

Gente de OpiniãoQuarta-feira, 24 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Quarta-feira, 24 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)