Porto Velho (RO) sexta-feira, 23 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Convenção do PMDB acirra disputa entre Cabral e Garotinho


Agência O GloboRIO - A disputa pela presidência nacional do PMDB colocou em campos opostos o presidente regional do partido, no Rio, Anthony Garotinho, e o governador do Estado, Sérgio Cabral Filho. Enquanto Cabral apóia a candidatura do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Nelson Jobim, Garotinho declarou apoio à reeleição do deputado federal Michel Temer (SP). Em reuniões ontem, pela manhã com Temer no diretório regional do PMDB e, à tarde, com Jobim, num hotel do Rio, Cabral e Garotinho trocaram farpas, expondo publicamente as suas divergências.Na briga pela conquista de votos para os candidatos no Estado, Garotinho parece ter levado a melhor. Documento a ser entregue a Temer pelo diretório do Rio lhe dará 66 votos de um total de 77. Ao ser questionado sobre a possível vantagem de Temer sobre Jobim, Cabral respondeu: " Voto é voto " .Em discurso pela manhã, o governador lamentou a negativa do diretório estadual em ceder o auditório para o encontro que aconteceria à tarde com Jobim. Garotinho explicou que o local já estava reservado para um evento de presidentes de zonais: " Jamais fecharíamos as portas do partido " .O ex-governador do Rio disse que apóia Temer pela sua " lealdade " na condução das prévias do partido para a escolha de um candidato que concorreria à presidência da República. " Seria uma ingratidão muito grande da minha parte, neste momento, em que V. Excelência disputa a presidência do partido, eu não apoiá-lo. V. Excelência não vai olhar para mim e encontrar aqui um ingrato " , alfinetou. " Vossa Excelência sabe muito bem que um dos pilares da convivência política é a lealdade. Lealdade é muito importante " .Segundo Garotinho, a sustentação da candidatura de Jobim se dá basicamente por forças do partido que foram contra a candidatura própria do PMDB à Presidência da República e " lutaram para esmagar o partido " : " Queremos unidade com independência e não unidade com subserviência " .Em discurso à tarde, Garotinho fez um apelo a Jobim para que abrisse mão da candidatura em prol da unidade. " Que esta eleição não sirva para nos separar e nos dividir " , afirmou Garotinho. Jobim lembrou que antes mesmo de Temer se lançar candidato ele havia sido convidado por lideranças do PMDB. " Quando soube da minha candidatura Temer disse: ? Vamos aguardar e construir uma candidatura para que não seja contra mim e sim produzida no partido. Vamos aguardar fevereiro ? . Quando retornei, depois da eleição para a presidência da Câmara, a candidatura de Temer estava posta " , disse Jobim.Segundo o ex-ministro, não houve uma discussão real sobre projetos do partido para o Brasil no período em que Temer esteve à frente da legenda. Segundo ele, desde o fim da ditadura o PMDB se transformou numa confederação de partidos regionais sem um projeto para o país. " De lá para cá, não encontramos bandeira alguma. Ficamos circulando nacionalmente sob o comando de naves alheias. Concorro por uma bandeira da modernização. Não represento grupo algum. A minha disposição de unidade nasceu lá atrás. Quero ajudar a buscar uma unidade voltada para objetivos. Não temos soluções. Temos, em alguns casos, meras ambições " , disse Jobim.Visivelmente irritado, Garotinho pediu a palavra e afirmou que a direção nacional criou um grupo de trabalho coordenado pelo economista Carlos Lessa para elaborar um programa de governo. " O PMDB discutiu exaustivamente um projeto para a nação. Lamentavelmente, num golpe de Estado, a executiva nacional mudou o quórum da convenção para que o partido não tivesse candidatura própria. Renan e Sarney boicotaram o partido. Gostei do seu discurso, o seu discurso me empolga. Se eu não fosse vacinado votaria no senhor. Mas as forças que estão com o senhor não queriam programa. Diga-me com quem andas e te direis quem és " , disse Garotinho numa referência indireta ao presidente do Senado, Renan Calheiros (AL) e ao senador José Sarney (AP). Ao retirar-se, Jobim afirmou que a recíproca é verdadeira.Durante o encontro da manhã, Cabral elogiou a história e a importância política de Temer, mas afirmou que o partido precisa se renovar para se consolidar como alternativa para o Brasil. " Tenho certeza de que vamos encontrar uma solução de unidade, chega de brigas " , disse Cabral ao chegar. Ao discursar para Temer, o governador disse: " Há sempre aqueles que gostam de crescer na divisão. Mas não é o seu caso " . Hoje, Cabral reúne-se com Jobim e governadores do PMDB, no Rio, para discutir o apoio a sua candidatura.(Janaina Vilella | Valor Econômico)

Mais Sobre Política - Nacional

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Implacável para condenar lideranças do PT na República de Curitiba, a Justiça brasileira não mostra o mesmo furor para investigar e julgar os tucanões

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que o anúncio da liberação de saques das contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviç