Porto Velho (RO) terça-feira, 13 de novembro de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

CNI/Ibope: Lula aumenta vantagem sobre Alckmin e chega aos 50%


Ilimar Franco - Agência O GloboBRASÍLIA - A 16 dias das eleições, a pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta sexta-feira mostra que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva aumentou a vantagem sobre o tucano Geraldo Alckmin e venceria no primeiro turno. Lula tem 50% das intenções de voto, contra 29% de Alckmin. Heloísa Helena, do PSOL, mantém o terceiro lugar, com 9% das intenções de voto. Cristovam Buarque, do PDT, tem 2%. Juntos, José Maria Eymael, do PSDC, Rui Costa Pimenta, do PCO, e Ana Maria Rangel, do PRP, somam 3%. Votos brancos e nulos somam 5% e indecisos 4%.Na pesquisa Ibope/TV Globo do dia 7 de setembro, Lula tinha 48%, Alckmin 27%, Heloísa Helena os mesmos 9%, Cristovam 1% e Ana Maria Rangel 1%. Os outros candidatos não pontuaram.Num eventual turno, Lula teria 53% dos votos, contra 37% de Alckmin. Brancos e nulos somam 6%, não sabem somam 4%. Na última pesquisa Ibope/TV Globo, Lula tinha 51% e Alckmin, 37%.Encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), a pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 16982/2006.

Mais Sobre Política - Nacional

Projeto de Mariana Carvalho isenta motorista de novos exames dentro da validade da CNH

Projeto de Mariana Carvalho isenta motorista de novos exames dentro da validade da CNH

O exame tem validade de cinco anos para condutores com menos de 65 anos.

Haddad, Ciro, Boulos e os rumos dos progressistas

Haddad, Ciro, Boulos e os rumos dos progressistas

Haddad, Ciro e Boulos precisam decidir se querem dar um passo em frente ou dois passos atrás.

O presidente eleito Jair Bolsonaro intensifica processo de transição esta semana em Brasília

O presidente eleito Jair Bolsonaro intensifica processo de transição esta semana em Brasília

Previdência, nomeação de ministros e reajuste estão na agenda

Governo Bolsonaro não fará discriminação de qualquer tipo, afirma Moro

Governo Bolsonaro não fará discriminação de qualquer tipo, afirma Moro

Futuro ministro afirma que haverá rigor contra crimes de ódio