Porto Velho (RO) segunda-feira, 19 de novembro de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Ciro ataca Alckmin, delegado e petistas que tentaram comprar dossiê


Ilimar Franco - Agência O GloboBRASÍLIA - Ao deixar o Palácio da Alvorada, depois de encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-ministro Ciro Gomes (PSB) fez duras críticas aos petistas envolvidos na tentativa de compra do dossiê contra tucanos, ao delegado da Polícia Federal que divulgou as fotos do dinheiro apreendido e ao tucano Geraldo Alckmin. Na quarta-feira, Ciro já tinha sido duro ao falar do assunto, chegando a dizer que a campanha de Lula mereceu o susto que levou.Ciro disse que sempre teve Alckmin como um homem respeitável, mas ele terá que explicar o apoio recebido do casal Garotinho e por que impediu a abertura de 60 CPIs quando governava São Paulo.- Ele não pode posar de vestal, passar por anjo e depois fazer uma aliança com o casal Garotinho e com o PFL da Bahia. Eu tenho o candidato Alckmin como homem respeitável, mas ele vai ter que explicar por que impediu a realização de 60 CPIs no estado de São Paulo - disse o ex-ministro, eleito deputado pelo Ceará com a maior votação proporcional do país.Ciro referiu-se aos petistas envolvidos na compra do dossiê como "meia dúzia de aprendizes de mafiosos". Disse ainda que o delegado Edmilson Bruno fez politicagem ao entregar à imprensa as fotos do dinheiro apreendido.- Esta atitude não é funcional, é politicagem. Ainda segundo Ciro Gomes, Alckmin tem dito que é a favor da Área de Livre Comércio das Américas (Alca). Para o ex-ministro de Lula, a Alca vai quebrar a indústria paulista.- O candidato Alckmin tem dito que é a favor da Alca, pois eu digo, a Alca vai quebrar a indústria de São Paulo - disse Ciro.O ex-ministro também cobrou que o tucano explique onde vai cortar os gastos correntes, como tem prometido:- O governador Geraldo Alckmin tem dito que vai cortar os gastos correntes da União. A maior parte dos gastos correntes é pagamento de aposentadoria, salário do funcionalismo, bolsa família, dinheiro para educação, saúde e segurança pública. Tem que dizer onde vai cortar, se vai ser no salário dos funcionários públicos, no dos aposentados, na educação, na saúde ou no Bolsa Família - disse.

Mais Sobre Política - Nacional

O presidente eleito Jair Bolsonaro diz que soberania e leis do Brasil devem ser respeitadas

O presidente eleito Jair Bolsonaro diz que soberania e leis do Brasil devem ser respeitadas

Em meio a reações como a do governo cubano que decidiu suspender a parceira com o Programa Mais Médicos, o presidente eleito Jair Bolsonaro voltou a

O registro de plantas e flores ornamentais será debatido no Senado

O registro de plantas e flores ornamentais será debatido no Senado

Pelo projeto, o produtor que desenvolver uma nova cor de orquídea pode ser liberado da inscrever o produto no RNCA Comissão de Agricultura e Reforma A

 JUSTIÇA SUÍÇA APONTA R$ 43,2 MILHÕES EM FINANCIAMENTO ILEGAL DE SERRA

JUSTIÇA SUÍÇA APONTA R$ 43,2 MILHÕES EM FINANCIAMENTO ILEGAL DE SERRA

Dinheiro para financiar a campanha presidencial do PSDB

Jair Bolsonaro diz que programa Mais Médicos não será suspenso

Jair Bolsonaro diz que programa Mais Médicos não será suspenso

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse ontem (14) que manterá o programa Mais Médicos e vai substituir os cerca de 8.500 profissionais cubanos p