Porto Velho (RO) sexta-feira, 17 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Chávez: Lula foi valente ao não brigar com Evo Morales


Cristiane Jungblut e Luiza Damé - Agência O Globo BRASÍLIA - Depois de cinco horas de encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Palácio do Planalto, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse nesta quinta-feira que Lula foi "muito valente" ao não brigar com o presidente da Bolívia, Evo Morales, por causa da questão do gás.- Lula se pôs de pé com muita firmeza e disse que tinha que ajudar a Bolívia. Permitam ao presidente legítimo da Bolívia desenvolver um projeto de governo. Compartilhamos a idéia de apoiar a Evo e à Bolívia - disse Chávez, antes de embarcar para a Argentina.O presidente venezuelano disse também que ele e Lula decidiram na reunião acelerar os projetos de construção da Refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco, e do trecho Brasil-Venezuela do chamado Gasoduto do Sul.Chávez disse que em janeiro os técnicos dirão em que prazos essas obras poderiam começar. Chávez admitiu que esses projetos foram deixados em segundo plano por causa das eleições no Brasil e na Venezuela.- A campanha eleitoral colocou esses temas em segundo plano porque, primeiro, entrou a batalha por ganhar as eleições - disse Chávez, acrescentando:- Foi uma excelente reunião, uma das melhores dos últimos anos com Lula. Hoje, reativamos a vontade de integração Brasil-Venezuela. O gasotudo do Sul colocamos de novo na agenda, a aliança Petrobras-PDVSA. O importante é que dedicimos acelerar a construção da refinaria, porque traremos 200 mil barris diários da Faixa de Orinoco para processá-lo aqui e prover energia para boa parte do mercado do Nordeste do Brasil, região que requer muita energia para o desenvolvimento que vai experimentar - disse Chávez.Chávez disse ainda que a PDVSA pretende ter uma frota petrolífera própria e, nesse sentido, estão sendo assinadas parcerias com uma empresa brasileira para a construção de quatro navios petroleiros.- Há pontos novos. Ter uma frota petroleira própria, porque PDVSA é uma das maiores companhias do mundo - disse. O presidente venezuelano explicou que o trecho Brasil-Venezuela do Gasoduto do Sul sairia da região de Orinoco, passando pelo Amazonas e Nordeste.- Esse trecho é prioritário, porque sabemos das fragilidades que tem o Brasil do ponto de vista do perfil energético do Norte e Nordeste. Decidimos que em janeiro a comissão nos dê um prazo de quando estaremos em condições de iniciar essa construção - disse.Durante a reunião no Palácio do Planalto, a Petrobras e a PDVSA assinaram três acordos que prorrogam os prazos dos projetos desenvolvidos em parceria e uma carta de intenções para produção conjunta de insumos, bens e serviços da indústria petrolífera.Os acordos prorrogaram os prazos da refinaria Abreu e Lima; da exploração de petróleo no campo de Carabobo, na Faixa do Orinoco; do projeto de exploração de gas de Mariscal Sucre, no Golfo de Paria, e da Plataforma Deltana. Os presidentes querem que os técnicos apresentem até março o detalhamento técnico das propostas para acelerar a execução desses projetos.Chávez disse ainda que espera que a economia da América Latina cresça anualmente 10%.

Mais Sobre Política - Nacional

 Moro age como se fosse autoridade superior, diz Favreto no CNJ

Moro age como se fosse autoridade superior, diz Favreto no CNJ

O desembargador do TRF-4 Rogério Fraveto, que em 8 de julho determinou a soltura do ex-presidente Lula, decisão que não foi cumprida, disse, em sua de

Grupo Abril pede recuperação judicial

Grupo Abril pede recuperação judicial

O grupo Abril entrou com um pedido recuperação judicial nesta quarta-feira (15); plano de recuperação judicial será mostrado aos credores em até 60 di

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Está revogada a decisão do Carf que havia livrado o banco de pagamento de multa de R$ 26 bilhões por sonegação de impostos; é a maior da história...

Bancários se manifestam em Brasília em defesa de bancos públicos

Bancários se manifestam em Brasília em defesa de bancos públicos

Bancários protestam contra as resoluções da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da Uni