Porto Velho (RO) segunda-feira, 27 de junho de 2022
×
Gente de Opinião

Brasil

Manaus se prepara para nova cheia severa no Rio Negro

Capital já enfrenta alta taxa de subida das águas, com cota de inundação acima de 29 metros


Foto: Nathalie Brasil - Semcom/Prefeitura de Manaus - Gente de Opinião
Foto: Nathalie Brasil - Semcom/Prefeitura de Manaus

Um ano após enfrentar a maior cheia do Rio Negro dos últimos 119 anos, Manaus se prepara para um desafio do mesmo porte. Em 2022, a previsão da Defesa Civil e dos boletins emitidos pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM) no estado é de chuvas intensas até o final do mês de maio e probabilidade de 80% que o Rio Negro atinja a cota de 29,8 metros, podendo chegar a 30,1m.

A metragem é considerada pelo CPRM como severa, semelhante à do ano passado, que alcançou 30,01 metros em junho de 2021, e motivou, desde o mês de janeiro de 2022, esforços da Defesa Civil de Manaus e de outros 18 órgãos municipais para prestar assistência a mais de 4 mil famílias diretamente afetadas pelo fenômeno natural. A prefeitura estima que este seja o total de afetados pelos alagamentos naturais deste ano e, por isso, se antecipou com ações de contingência que vão abranger 19 bairros, além de 12 comunidades rurais à beira do Rio Negro e 14 às margens do Rio Amazonas. Além da construção de pontes de acesso, a população atingida será atendida com cestas básicas e auxílio aluguel.

A área onde as obras de infraestrutura tiveram início foi o bairro São Jorge, na zona Oeste de Manaus, que receberá um total de 1,4 mil metros de pontes. A previsão é de que até 11 mil metros sejam construídos em toda a cidade, inclusive no Centro Histórico, que será contemplado com 900m de plataformas. Segundo o secretário executivo da Defesa Civil de Manaus, coronel Fernando Júnior, responsável pela operação de 2022, estão previstos R 5,4 milhões para as ações executadas pela pasta. 

Onze bairros já apresentam pontos de alagação, visto que o Rio Negro atingiu a cota de 29,19m na última sexta-feira (13/05), de acordo com a Defesa Civil. Destes 11, nove já iniciaram a construção temporária de pontes para garantir a circulação das famílias afetadas. São eles: Jardim Mauá, Mauazinho, Colônia Antônio Aleixo, Puraquequara, Tarumã, Educandos, São Jorge, Santa Luzia, Presidente Vargas e Centro de Manaus. 

“Espera-se que o Rio Negro atinja 29,4m, uma cota muito parecida com a do ano passado, que foi de 30m. Apesar de ser diferente em números, a severidade é a mesma. Portanto, o plano de contingência criado para Manaus é muito parecido com o do ano passado, quando tivemos uma cheia recorde”, declara o secretário. 

Ao comparar a cheia de 2021 com a cheia esperada em 2022, o coronel Fernando Júnior conta que o último ano deixou um grande legado para o trabalho da Defesa Civil de Manaus. “Como já conhecemos e lidamos com um fenômeno recorde, nós vamos tratar 2022 como se fosse 2021, o que vai evitar surpresas para nós e para a população. Estamos nos antecipando ao fenômeno e dando assistência às comunidades antes que a água chegue às casas das famílias”, ressalta. 

Assistência Social -- Desde janeiro, a Prefeitura de Manaus acompanha o monitoramento dos rios Negro e Amazonas feito por órgãos federais como o CPRM. A partir dos boletins consolidados, é feito o cadastramento de casas e famílias afetadas pela enchente. As 4 mil famílias atingidas pela cheia receberão assistência social -- cestas básicas, kit higiene e auxílio aluguel de R 600 por dois meses. 

Saiba Mais -- As cheias que ocorrem na orla de Manaus e entorno são devidas, em sua maior parte, às contribuições do Rio Solimões e seus afluentes da margem direita e, em menor grau, aos tributários da margem esquerda, causando influência sobre o Rio Negro e afetando a cidade de Manaus. 

De acordo com os boletins divulgados pelo CPRM no mês de abril, o Rio Negro apresentou processo intenso de enchente em todos os pontos monitorados, com níveis acima dos esperados para o período do ano.

Mais Sobre Brasil

Censo Demográfico: IBGE inicia pesquisa sobre infraestrutura urbana

Censo Demográfico: IBGE inicia pesquisa sobre infraestrutura urbana

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) iniciou, nesta segunda-feira (20), a Pesquisa Urbanística de Entorno dos Domicílios, que in

IBGE divulga informações sobre orientação sexual pela primeira vez

IBGE divulga informações sobre orientação sexual pela primeira vez

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga nesta quarta-feira (25) estatísticas relativas à orientação sexual da população bra

Primeiro lugar: Porto Velho está entre as piores cidades de saneamento básico no Brasil

Primeiro lugar: Porto Velho está entre as piores cidades de saneamento básico no Brasil

Para celebrar o Dia Mundial da Água (22 de março), o Instituto Trata Brasil, em parceria com GO Associados, publica a 14ª edição do Ranking do Sane

Brasileiro passa a temer mais a guerra do que o coronavírus

Brasileiro passa a temer mais a guerra do que o coronavírus

O prolongamento da guerra na Ucrânia está ocupando o lugar da pandemia como grande temor do brasileiro. A conclusão é da pesquisa que o Ipespe divul