Porto Velho (RO) segunda-feira, 21 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Bons gestores de TI são uma raridade no mercado


Flávia Rodrigues - Agência O GloboRIO - Difícil, hoje em dia, é encontrar um bom gestor de tecnologia da informação (TI) no mercado de trabalho. Alguém que tenha conhecimento para integrar diversas soluções de informática e trazer agilidade para as empresas, seja na linha de produção ou na prestação de serviços. As escolas de negócios, bem como executivos e headhunters, já se deram conta da carência desse profissional, lançando cursos e MBAs para formá-los. A FGV, por exemplo, tem MBA com ênfase em TI em Niterói, Friburgo e Petrópolis. O Senac Rio também tem pós-graduação na área.Os resultados da baixa integração apareceram em uma pesquisa feita pelos professores Nelson Barrizzelli, da Universidade de São Paulo (USP), e Rubens da Costa Santos, da FGV. Ao entrevistarem 668 empresários, concluíram que o país deixa de ganhar R$45 bilhões ao ano pela falta de soluções inteligentes que ponham sistemas de empresas e fornecedores, por exemplo, em conexão. Assim, elas responderiam mais rapidamente às demandas.Para o headhunter especializado em TI Luiz Felipe Castro, que trabalha para a Case Consulting, três fatores são responsáveis por essa carência. O primeiro deles é que o mercado ainda não é muito conhecido no Brasil. O segundo refere-se ao fato de os jovens que cursam ciências da computação ou informática estarem largando a faculdade porque começam a ganhar bem, muito cedo. Só que, a longo prazo, tornam-se pouco qualificados.- Já entrevistei gerentes de TI que ganhavam R$6 mil e não tinham nível superior completo. Imagine como é complexo encontrar profissionais com pós-graduação ou doutorado, como às vezes é preciso - diz Castro.'Em TI, o conhecimento é perecível', diz executivo Por fim, vem o problema da falta de domínio de um idioma estrangeiro, especialmente o inglês. Neste ponto, a opinião do headhunter se encontra com a do diretor de Processos da Asyst Sudamérica, uma grande empresa do setor. O executivo conta que contrata um funcionário a cada 50 ou 60 candidatos.- Falta de conhecimento de inglês é um problema enorme. É que, na maioria das vezes, essas pessoas vão lidar com empresas estrangeiras. E é mais raro ainda quem saiba outro idioma, como espanhol - conta. - Uma vez, levei três meses para preencher uma vaga. Quanto maior a especialização, mais difícil fica encontrar o profissional.Em relação à parte técnica, o executivo explica que o profissional procurado é o que conhece os novos produtos:- As escolas ensinam conceitos, mas os profissionais precisam manter constante atualização. Não dá para parar de se informar porque a tecnologia muda quase completamente a cada dois anos. É um conhecimento perecível.O gerente do Centro de Informática e Telecomunicações do Senac Rio, Frederico Novaes, também diz que a renovação tecnológica é implacável, principalmente com a convergência digital entre mídias. Ele é o responsável pelo curso de pós-graduação do Senac Rio:- O mercado precisará de tecnólogo do conhecimento, tanto quanto dos que montam redes ou prestam suporte de informática. A função do gestor de TI é diferente da exercida por bacharéis em computação. O gestor é alguém que conhece tudo o que existe e sabe coordenar aparelhos corretamente. Pode ser um advogado ou engenheiro também.

Mais Sobre Política - Nacional

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que