Porto Velho (RO) quarta-feira, 20 de junho de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Bispo diz que segundo turno é 'ótima oportunidade de amadurecimento político'


Agência O GloboSÃO PAULO - Em artigo distribuído nesta quinta-feira pela assessoria de imprensa da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o bispo de Jales (SP), dom Demétrio Valentini, um dos expoentes da chama "ala esquerda" do episcopado brasileiro, considera a realização do segundo turno "uma ótima oportunidade de amadurecimento político" para o país.- Dependendo de como será conduzida a campanha, podemos ter pela frente dias de profunda reflexão sobre os problemas do país, e sobre as opções para enfrentá-los - espera o bispo.De acordo com dom Demétrio, um "verdadeiro" debate político precisa apontar com clareza os problemas existentes, identificando suas causas, e apresentando a proposta de cada candidato.- Na medida que isto acontece, os eleitores não só vão expressar pelo voto sua preferência, mas se preparam para colaborarem efetivamente na solução dos problemas, dando seu indispensável suporte político para quem for eleito - defende.Veja a íntegra do artigo "Amadurecimento Político" de dom Demétrio Valentini:"Como previsto, diversos estados terão segundo turno para definir seus Governadores, em opção que agora se restringe a dois candidatos. De tal maneira que um deles contará com o sufrágio da maioria absoluta dos votantes."Mas o fato politicamente mais relevante é, sem dúvida, o segundo turno para definir o Presidente da República. Para ele se voltam as atenções do país. Para ele converge também o interesse internacional, não só da América Latina, mas do mundo inteiro, como pude constatar nestes dias na Europa. O Brasil é importante no contexto mundial. Mas sobretudo nos últimos anos ele marcou uma presença muito ativa, que suscitou respeito e despertou muitas esperanças, que agora são colocadas ao discernimento dos eleitores brasileiros."Com a realização do segundo turno para Presidente, o Brasil terá uma ótima oportunidade de amadurecimento político. Dependendo de como será conduzida a campanha, podemos ter pela frente dias de profunda reflexão sobre os problemas do país, e sobre as opções para enfrentá-los."Discute-se há tempo a reforma política. Algumas mudanças são urgentes. Mas com certeza não vai se mexer no estatuto do segundo turno. Pois ele sinaliza valores políticos muito importantes."Em primeiro lugar, o segundo turno acena para a responsabilidade peculiar do poder executivo. Este poder se defronta, cotidianamente, com decisões a serem tomadas, com ações a serem executadas, com providências a serem encaminhadas, tudo com influências diretas sobre a vida da população. O poder executivo lida com o cotidiano, com o real, com o imediato."Em vista disto, é conveniente estabelecer, em princípio, uma adesão majoritária em torno da pessoa a quem se vai confiar a tarefa de administrar. É a primeira intenção política do estatuto do segundo turno. É tão complicado, e tão perigoso, governar, que convém pensar duas vezes a quem confiar esta responsabilidade."Se é importante escolher bem a pessoa do governante, em vista dos seus dotes pessoais e de sua capacitação e experiência administrativa, a confiança nele depositada precisa se amparar não só na sua pessoa, mas também na proposta política que ele representa. Daí que o segundo turno deveria levar os eleitores a perceber que projeto político representa cada um dos dois candidatos."Neste sentido, o segundo turno deve significar um passo à frente, não um passo atrás. Dadas as circunstâncias, o primeiro turno destas eleições, na opinião de muitos observadores, foi superficial do ponto de vista político, não tendo levado, efetivamente, ao debate em torno das grandes questões da realidade brasileira. Talvez isto explique algumas evidentes aberrações que resultaram, por exemplo, em votações obtidas por alguns candidatos à Câmara Federal, que destoam dos objetivos de eleger pessoas que tenham reais condições de contribuir positivamente para a consolidação do sistema democrático brasileiro."O que se espera deste segundo turno é que ele proporcione um debate objetivo entre os candidatos, deixando de lado acusações de ordem pessoal, ou manobras que visam desviar as atenções dos eleitores para circunstâncias irrelevantes."Um verdadeiro debate político precisa apontar com clareza os problemas existentes, identificando suas causas, e apresentando a proposta de cada candidato. Na medida que isto acontece, os eleitores não só vão expressar pelo voto sua preferência, mas se preparam para colaborarem efetivamente na solução dos problemas, dando seu indispensável suporte político para quem for eleito."A campanha política no segundo turno deixa de ser o espaço monótono para os chavões de praxe, para se tornar o teste efetivo da qualidade dos candidatos e da responsabilidade dos eleitores."

Mais Sobre Política - Nacional

Delfim Netto: “Próximo presidente vai ser impichado”

Delfim Netto: “Próximo presidente vai ser impichado”

Não é uma previsão catastrofista, garante, mas uma "leitura simples" a partir do que o sistema político-eleitoral foi capaz de produzir até hoje

Gleisi vence de goleada acusação farsesca: 5 a 0

Gleisi vence de goleada acusação farsesca: 5 a 0

Por unanimidade, a 2ª Turma do STF absolveu a senadora Gleisi Hoffmann, seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, e o empresário Ernesto Kugler das ac

STF confirma julgamento da liberdade de Lula no dia 26

STF confirma julgamento da liberdade de Lula no dia 26

Após a convocação de uma sessão extraordinária para a próxima terça-feira, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal confirmou a inclusão na pauta

Pimenta avisa: CPI das delações fará seu trabalho

Pimenta avisa: CPI das delações fará seu trabalho

A quem interessa tolher o poder de investigação do Parlamento brasileiro?