Quinta-feira, 30 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Alckmin se irrita com pergunta sobre vestidos da mulher


Agência O Globo SÃO PAULO - O candidato do PSDB a presidente da República, Geraldo Alckmin, parece ter sentido o golpe das últimas pesquisas, que dão uma vantagem de 20 pontos percentuais para o seu adversário, o presidente Luiz inácio Lula da Silva. Em entrevista à CBN, na manhã desta sexta-feira, o tucano não escondeu a irritação ao ser perguntado sobre a doação de 400 vestidos de luxo para sua esposa, Lu Alckmin: - Todos os argumentos dos petistas vieram aqui para este debate - disse Alckmin, antes de afirmar que não foram 400 vestidos e que as roupas dadas a ela foram doadas a uma entidade assistencial. Alckmin afirmou, após a entrevista, que não se sentiu acuado com o tom irônico adotado por Lula no debate realizado na noite anterior, no SBT: - Me senti totalmente à vontade. Gostei do debate. Acho que levei informação ao povo brasileiro. Acho que permiti uma comparação melhor, mostrar que tem diferenças. São duas visões opostas. O candidato do PSDB voltou a defender, durante a entrevista, as privatizações do governo Fernando Henrique, mas garantiu que não venderá empresas como Petrobras, Banco do Brasil e Correios. Segundo Alckmin, se houvesse algo de errado na venda da CSN, Embraer e Vale, o governo Lula reestatizaria as companhias. O tucano elogiou o desempenho do setor de telecomunicações e prometeu firmar Parcerias Público-Privadas. - Minha prioridade é trazer a iniciativa privada para ser parceira do governo na ampliação da infra-estrutura. O tucano também defendeu a concessão de estradas federais, modelo que descreveu como "mais justo". Alckmin criticou o atual governo no que se refere a segurança, afirmando que Lula "só fez cortar recursos" do setor. Ele garantiu que irá liberar recursos e que dará prioridade à polícia de fronteira no país, com maior controle da entrada de armas e drogas. Segundo Alckmin, no Estado de São Paulo não há ninguém do crime organizado fora da cadeia. Ele atribuiu os recentes ataques no estado aos criminosos que "testam o governo". O candidato disse também que as ações têm "interesse eleitoral". O candidato tucano disse ainda que vai reajustar a pensão e aposentadoria paga pelo INSS "o máximo possível", mesmo que seja em parcelas. Ele criticou Lula por vetar o reajuste de 16% a todos os aposentados e pensionistas. Em relação à Previdência pública, Alckmin defendeu a contribuição com fundos de pensão. De acordo com o tucano, algumas das soluções para o déficit previdenciário são a redução da informalidade, a geração de empregos e o combate a sonegação e fraudes.

Gente de OpiniãoQuinta-feira, 30 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Quinta-feira, 30 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)