Porto Velho (RO) sexta-feira, 18 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Alckmin: 'Por muito menos, o Collor caiu'


Cláudia Lamego e Elenilce Bottari - Agência O GloboRIO - O candidato do PSDB a presidente, Geraldo Alckmin, disse neste sábado que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve muita tolerância da oposição e que, por muito menos, o ex-presidente Fernando Collor de Mello sofreu o impeachment. Alckmin acusou o governo Lula de ser autoritário e criticou a Polícia Federal pelo atraso no desfecho das investigações sobre a tentativa de petistas de comprar um dossiê contra os tucanos.- Há uma corrosão de credibilidade no que o Lula fala. Ao contrário, houve muita tolerância porque, por muito menos, o Collor caiu. Ele (Lula) não pode querer impunidade, porque esta é a mãe da corrupção. Não é possível chamar de meninos quem cometeu crimes. Até hoje não explicaram de onde veio o dólar, como entrou no Brasil. Certamente foi de forma ilegal. Quem é o dono? As pessoas que foram presas são bagrinhos. Nada foi explicado e, em vez de explicar, foram pegos com a boca na botija, aí vem com bobagem de golpe -disse, referindo-se à declaração de Lula, de que a oposição está sendo golpista.Alckmin foi neste sábado à Cidade de Deus, onde recebeu dos rappers MV Bill e Nega Gizza, dois dos fundadores da Central Única de Favelas (Cufa), uma carta com reivindicações de projetos para a juventude das comunidades carentes. Na sede da Cufa, Alckmin assistiu a apresentações de teatro e de dança de rua, ofereceu um boné a MV Bill com a inscrição "Tamu junto e misturado" e disse que estava vivendo o momento de maior emoção de sua campanha:- Estamos encerrando essa caminhada cívica, percorri os 27 estados e hoje aqui, Cidade de Deus, na Cufa, é o momento de maior emoção, de esperança e confiança de que o Brasil vai melhorar. Quero voltar aqui como presidente de vocês - disse Alckmin, que caminhou pela comunidade com o prefeito Cesar Maia e a candidata do PPS ao governo do Rio, Denise Frossard.

Mais Sobre Política - Nacional

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que