Terça-feira, 23 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Agropecuária registra queda de R$ 5,7 Bilhões no PIB do semestre


Agência O Globo BRASÍLIA - Os baixos preços pagos aos produtores rurais pelos produtos agrícolas e pecuários foram a principal causa da queda de 1,88% do PIB da agropecuária, verificada no fechamento do primeiro semestre do ano. A maior retração ocorreu na pecuária, com redução acumulada de 2,41%, de janeiro a junho. Seguindo esta tendência, o PIB anual da agropecuária terá uma redução de R$ 5,7 bilhões, caindo de R$ 153,04 bilhões, em 2005, para R$ 146,34 bilhões, em 2006, com redução de 3,72% na renda dos produtores, segundo dados da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Universidade de São Paulo (Cepea/USP) divulgados nesta quinta-feira. A redução dos preços médios pecuários chegou a 4,16%, enquanto a produção física aumentou 1,83%. No entanto, segundo o superintendente técnico da CNA, Ricardo Cotta, "há previsão de reação dos preços das carnes no segundo semestre, o que poderá minimizar a queda acentuada do PIB da pecuária até o final do ano". Os preços pagos ao produtor pelo boi gordo reagiram recentemente por força da redução da oferta do produto no mercado, após um aumento no abate de matrizes ao longo do período de crise. De ciclos mais curtos, as carnes suína e de frango readequaram a oferta à demanda do mercado mais rapidamente, o que reajusta os preços ao produtor. O mesmo, no entanto, não ocorrerá com a agricultura. "O reajuste de preços na agricultura somente começará a ser captado na próxima safra", diz Ricardo Cotta. O PIB da agricultura teve redução de 1,46% no primeiro semestre do ano. Os preços médios reais caíram 3,29%, enquanto a produção física cresceu 1,89%. Segundo Cotta, em busca de preços melhores para próxima safra, o produtor poderá redirecionar sua intenção de plantio. "Ocorrerá uma menor utilização de tecnologia e área, além de algumas substituições de lavoura por pecuária e de soja por algodão, na região de cerrado", afirmou o superintendente da CNA. Os aumentos nos custos de produção nesta safra e a redução da receita obtida pelos produtores resultam em menor rentabilidade da atividade. Mas, para Ricardo Cotta, os reflexos da queda da receita só serão melhor percebidos no ano que vem. O primeiro impacto será a substituição de culturas ou a redução da área plantada e do uso de tecnologia. Os efeitos deste quadro serão mais graves nos Estados onde o custo de logística é maior, como é o caso do Mato Grosso e algumas áreas de Goiás. Nestas regiões, haverá maior desestímulo à expansão da produção do que em outros Estados. Dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) mostram que a redução da área plantada na região Centro-Oeste foi de 8,2% ou 14,4 milhões de hectares, enquanto a região Sudeste registra redução de 4,4% ou 5,4 milhões de hectares a menos destinados às lavouras, nas duas últimas safras.

Gente de OpiniãoTerça-feira, 23 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Terça-feira, 23 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)