Porto Velho (RO) segunda-feira, 18 de junho de 2018
×
Gente de Opinião

Polícia

Funaro entregou todos os operadores de Temer


Gente de Opinião

Por Fernando Brito, editor do Tijolaço

O Globo divulga agora à noite que, na sua delação, o doleiro Lúcio Funaro confirma que havia pagamento de propina a Michel Temer pelos contratos de construção da usina de Angra 3.

O doleiro, chamado gentilmente pelo jornal de “corretor” listou “quatro pessoas como operadores do presidente: José Yunes, seu ex- assessor, Wagner Rossi, ex-ministro da Agricultura, Marcelo Azeredo e o coronel João Batista Lima Filho. De acordo com o relato, Yunes seria o principal intermediário e usava a empresa de Lima, a Argeplan, para lavar os ganhos indevidos com o contrato de Angra 3”.

A delação é, afinal, o que todos já sabiam.

Como é que uma empresa à qual Lima se associa, de repente, num passe de mágica, se associa a uma multinacional para tocar obras de grande complexidade?

Aliás, é inacreditável como este personagem, de ligações históricas com temer tenha ficado, até agora ao menos, fora da linha de frente das investigações.

Ele e Yunes são as máquinas de lavar da área de serviço de Temer.

Mais Sobre Polícia

 Augusto José denuncia bandidagem na ponte sobre o rio Madeira (VÍDEO)

Augusto José denuncia bandidagem na ponte sobre o rio Madeira (VÍDEO)

Augusto José faz grave denúncia durante o programa Balanço Geral Rondônia, da SICTV...

Polícia Civil investiga ações do ex-senador Luiz Estevão na Papuda

Preso há mais de dois anos no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, o ex-senador Luiz Estevão é suspeito de ser o “manda-chuva” da ala reserv

Polícia apreende pendrives e anotações em cela de Geddel

Polícia apreende pendrives e anotações em cela de Geddel

Após denúncia de um detento, a Polícia Civil do DF, autorizada pela Justiça, fez buscas na cela do ex-ministro de Temer, Geddel Vieira Lima, preso no

Jungmann quer prorrogar intervenção por mais um ano no RJ

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, sugeriu hoje (15) que a intervenção federal no Rio de Janeiro seja prorrogada por mais um ano, até o