Porto Velho (RO) segunda-feira, 23 de novembro de 2020
×
Gente de Opinião

Polícia

‘CHEGA DE ACIDENTES!’: Redução de mortes no trânsito precisa ser prioridade



‘Chega de Acidentes!’: redução de mortes no trânsito precisa ser prioridade do próximo presidente

Movimento elaborou carta aberta aos candidatos à Presidência da República e Governadores

O Chega de Acidentes é uma ação organizada por entidades com um histórico de envolvimento nas discussões pela segurança no trânsito brasileiro que propõe a criação e a implantação de um Plano Nacional de Segurança Viária no Brasil. Teve início em 18 de setembro de 2009, organizado pelo CESVI BRASIL (Centro de Experimentação e Segurança Viária), ABRAMET(Associação Brasileira de Medicina de Tráfego) e a ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos).

Com a aproximação das eleições no País, os organizadores do movimento, contando com o apoio de mais de 40 entidades e empresas, elaboraram uma carta aberta aos candidatos à Presidência da República e Governadores, apontando as necessidades urgentes para a melhoria da qualidade de vida no trânsito brasileiro, e para a redução do número alarmante de acidentes e mortes.

Desde sua criação, o movimento tem conquistado o apoio de diversas organizações do País – associações, fundações, entidades de classe, empresas privadas e veículos de imprensa. Esses apoios têm sido fundamentais para a disseminação de informações para a sociedade sobre a problemática que envolve o alto índice de acidentes de trânsito.

Atualmente, os acidentes de trânsito no Brasil tornaram-se a maior causa de mortes por lesões externas. A campanha, que já antecipava ações antes mesmo da recente proclamação da ONU daDécada de ações para a Segurança no Trânsito (2011-2020), pretende chamar a atenção da sociedade e das autoridades para o grande número de acidentes e mortes no trânsito, e o impacto econômico que esse cenário provoca.

Como uma grande diversidade de fatores influi na ocorrência dos acidentes, o caminho para a redução depende de uma ação coordenada que leve em conta essa complexidade. Algo que somente um Plano Nacional de Segurança Viária, feito com a participação e apoio de órgãos públicos e a sociedade em geral poderá proporcionar.

 

Site do movimento, espaço para convergência de ideias

No site www.chegadeacidentes.com.br um relógio virtual estima a evolução da quantidade de vítimas fatais e não fatais no Brasil, e o impacto econômico dos acidentes e suas vítimas. O valor da estimativa do que é gasto em virtude da ocorrência de acidentes é transformada no equivalente ao investimento em determinado número de casas populares, cestas básicas, construção de hospitais de reabilitação e quilometro de linha de metrô. Essa comparação é feita para mostrar o quanto o problema dos acidentes de trânsito, além da irreparável perda de inúmeras vidas, compromete orçamentos que poderiam ser destinados a outros setores carentes de investimentos no País.

Desde que o relógio iniciou a estimativa, em 18 de setembro do ano passado, o trânsito já provocou a morte de mais de 28 mil* pessoas e cerca de 90 mil* foram hospitalizadas. De acordo com dados levantados pelo movimento, o impacto econômico desses acidentes corresponde a cerca de R$ 25 bilhões*. Esse valor equivaleria ao investimento em 172 km* de linha de metrô em São Paulo; 503* hospitais de reabilitação; quase 220 mil* ambulâncias; aproximadamente 720 mil* casas populares; e cerca de 105 milhões* de cestas básicas.

*Dados da última estimativa em 21/06/2010, às 10h17.

No mesmo endereço eletrônico é possível participar de um abaixo-assinado eletrônico, para que a sociedade possa engajar-se em prol dessa iniciativa. Os interessados em apoiar ou divulgar esta ação podem entrar em contato por meio do próprio site, que permanecerá até que um Plano Nacional de Segurança Viária seja implantado.

 

Abaixo, a Carta Aberta na íntegra.


CARTA ABERTA AOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA E GOVERNADORES

Caro candidato,

O movimento Chega de Acidentes!, aqui representado por  seus organizadores – a ABRAMET (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego), a ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos) e o CESVI BRASIL (Centro de Experimentação  e  Segurança Viária) –, contando com o apoio de mais de 40 entidades e empresas, conciliando associações, organizações não governamentais e iniciativa privada, dentre as quais, a Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro, composta por parlamentares do Congresso Nacional, quer colaborar com seu plano de governo, apontando necessidades urgentes de nossa sociedade, que merecem – e precisam de – atenção máxima do nosso próximo presidente.

Estamos falando da violência no trânsito. Para efeito de comparação, a opinião pública ficou aterrorizada, recentemente, com o soterramento de 200 pessoas em Niterói (RJ), em consequência do volume excessivo de chuvas num curto período de tempo, no Rio de Janeiro. No nosso trânsito, esse mesmo número de pessoas morre a cada dois dias, vítima de acidentes. Segundo o Ministério da Saúde, são cerca de 37 mil vítimas  fatais  todos os  anos  e  cerca  de  120 mil  feridos internados em nossos hospitais – uma tragédia anunciada, já que os fatores que  levam  a  essas  fatalidades  são conhecidos. O País ocupa hoje a 5ª posição mundial em quantidade absoluta de fatalidades no trânsito, atrás apenas da Índia, China, Estados Unidos e Rússia.

Os acidentes de trânsito estão em 2º lugar entre as causas externas de mortes, depois dos homicídios, podendo-se tornar o 1º em breve (por exemplo, no Estado de São Paulo, já estão na primeira colocação). O impacto econômico e social dessa violência foi estimado em 34 bilhões de reais ao ano, em estudo do IPEA, DENATRAN e ANTP.

Por tudo isso, os acidentes de trânsito deveriam ter prioridade nas preocupações de qualquer governo – mas ainda não é assim no Brasil. Faltam ações coordenadas, programas que combinem informação de qualidade com iniciativas efetivas e duradouras.

O movimento Chega de Acidentes! visa a sensibilizar governo e autoridades responsáveis pelo trânsito para a urgência da implantação de um Plano Nacional de Segurança Viária.  A implantação de um plano abrangente e com ações coordenadas faria com que o Brasil atendesse às recomendações da ONU, que declarou 2011 a 2020 como a Década de Ações para a Segurança Viária. Entre estas recomendações, constam as seguintes:

• Estabelecer metas de redução de acidentes ambiciosas e factíveis, relacionadas a um plano de investimentos para a causa, e mobilizar recursos para a implementação das iniciativas necessárias para o alcance das metas.

• Encorajar ações de cooperação entre entidades da administração pública, setores públicos e privados, assim como a sociedade civil.

• Aprimorar a coleta de dados e a possibilidade de compará-los com informações de outros países.

É disso que o trânsito brasileiro precisa.

Diante do exposto, sugerimos que o próximo governo elabore e implante um Plano Nacional de Segurança Viária, com metas e prazos para redução de vítimas, definindo um órgão com status de ministério, recursos e dotação necessários para coordenar esse processo. E que esse processo seja fundamentado em um sistema padronizado de coleta, processamento e análise de dados sobre acidentes, que seja confiável, atualizado e acessível via Internet.

É para poupar milhares de vidas ao ano, e também para evitar os prejuízos sociais e econômicos derivados dessas fatalidades, que fazemos este apelo público ao próximo presidente da República. E é também, publicamente, que o movimento afirma que cobrará do próximo governo tudo o que é devido à sociedade em termos de atenção à questão do trânsito.

Confiantes em um futuro melhor para o nosso trânsito, desejamos ao novo presidente muito êxito na gestão do País, maturidade em suas decisões e sabedoria em suas prioridades.

Estamos certos de que a vida de quase 150 mil pessoas e o impacto econômico de cerca de 140 bilhões de reais (o número anual de vítimas fatais e o impacto econômico anual multiplicado pelos quatro anos de governo) serão vistos como prioridade por qualquer executivo com a sensibilidade e a competência para presidir uma nação como a nossa.

Colocamo-nos à disposição para contribuir no que for necessário para que o tema esteja em seu plano de governo.

Nossos melhores votos,

Chega de Acidentes

Fonte: Rodrigues & Freire Comunicação Suzana Guerra Mariutti – sguerra@rodrigues-freire.com.br

Mais Sobre Polícia

5º Batalhão da PM realiza formatura alusiva aos 27 anos, nesta sexta (23)

5º Batalhão da PM realiza formatura alusiva aos 27 anos, nesta sexta (23)

O 5º Batalhão de Polícia Militar de Rondônia (5º BPM – Batalhão Belmont) realiza, nesta sexta-feira (23), às 19h, a formatura militar alusiva ao seu

Operação Arinna do MP/SP: PRF e RFB participam da operação para desarticular organização criminosa atuante na adulteração de combustível

Operação Arinna do MP/SP: PRF e RFB participam da operação para desarticular organização criminosa atuante na adulteração de combustível

Na manha de hoje (21), a Polícia Rodoviária Federal participou da Operação Arinna, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime O