Porto Velho (RO) terça-feira, 19 de novembro de 2019
×
Gente de Opinião

Orlando Cavalcante Pereira da Silva Junior

Durma bem meu anjo


Durma bem meu anjo - Gente de Opinião

Te conheci, porém, não te vi. Apenas te sondava, te apalpava no ventre de tua mãe, acompanhando teu crescimento.

Desde quando soube que tu virias, me deu um misto de alegria, ternura e felicidade por saber que teríamos mais um “Tiburciozinho” para podermos minar, traquinar, educar, corrigir e amar. E eu roubar você de quando em vez, só para mim.

Cada vez que via sua mãe para mim, era uma festa com as carícias ao passar as mães na barriga dela e chamá-la de linda... e era verdade! Estava muito linda com aquela pequena protuberância que ela insistia em chamar de barriga.

Mas, Papai do Céu, precisando mais um anjo perto Dele, para cuidar de todos nós aqui na terra, resolveu ficar contigo para Ele e, como Supremo Arquiteto que é, e em nossa vida tem o poder, fez com que eu estivesse longe para não poder te ver, mesmo nas condições que viestes.

Em um dia muito especial para mim, dia que há muitos anos é de felicidade, Ele te levou, deixando assim um misto de alegria e tristeza no mesmo dia que jamais será esquecido pois são lembranças boas e agora, ficou registrado também pela sua partida tão prematura.

Não pude estar fisicamente com teus pais na hora que eles tiveram que se despedir de ti porém, com toda distância que nos separou eu sofri como se estivesse presente com o restante da família.

Em uma cadeira de balanço imaginária, coloquei teus pais, um em cada perna e contei tudo sobre a vida que nos é traçada e, cantando cantigas de ninar pude acalmar um pouco meu coração e saber que não podemos discutir os desígnios do Deus.

Li uma frase, não sei a autoria, que hoje estou entendendo bastante “quando eu era criança, chorava bem alto para chamar a atenção. Hoje choro em silêncio para não ter que explicar a razão”, pois seu que muitos não irão entender.                                                                                        

Cara! Você quando foi concebido conseguiu unir a “macacada” toda em vota de ti... uns padrinhos “meia boca” um vovô muito animado, metido a saber tudo e nessas horas tão pouco tem a dizer e uma vovó que sempre falava bem de ti.

Tios empolgados com tua chegada, os outros vovôs já de sorriso “orelha a orelha”, só aguardando para te dar carinho, afeto, amizade, educação e religião.

Sei que o sentimento de sangue é forte, sei que de longe eu também estava abraçando e sendo abraçado pela tua ida para Ele te por nos braços.

Ah cara! Tu fostes e serás muito especial entre todos nós.

Tu estás guardado em minhas lembranças, deitado em meu coração e cravado em minha pele com teu nome, como hoje estão cravados os nomes de todos teus tios e tias – teu nome será uma marca que terei sem sentir qualquer dor ao fazê-la.

Agora também estás entrelaçado nas letras que aqui falo em ti.

Imagina menino, como está meu coração apertado... louco para poder me juntar a todos da família e poder abraças teu pai e tua mãe, sem ter que dizer nada e saber que tudo será entendido.

Tu passaste rápido por meio de nós e, como marca de nossa família, deixou um rastro de saudade.

Durma ao lado dele menino!

Durma como um anjo que és!

Durma bem Rafinha...

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Orlando Cavalcante Pereira da Silva Junior

Cardápio imutável

Cardápio imutável

O cara está ali para vender o produto dele e o consumidor para adquiri-lo, sem que haja qualquer aproximação mais humana.

“Dimenor”

“Dimenor”

Vemos teorias de todas as partes de que a redução da maioridade penal

Guerreira menina - Por Orlando Júnior

Guerreira menina - Por Orlando Júnior

Hoje eu parei para escrever alguma coisa sobre você, minha amiga, companheira, cúmplice, para-choque, esteio e compaixão.Quem é você???Guerreira, sem