Porto Velho (RO) segunda-feira, 18 de junho de 2018
×
Gente de Opinião

Opinião

Roubaram bem mais que a verdade, diz Mello Franco


Gente de Opinião

247 - Em sua coluna, o jornalista Bernardo Mello Franco, afirma que Michel Temer não pode mais usar o discurso de que é vítima de uma perseguição do Ministério Público. Pois, agora é a Polícia Federal que aponta o peemedebista como chefe de uma máquina de corrupção. 

"O inquérito do "quadrilhão" do PMDB implode o discurso de que Michel Temer seria vítima de perseguição da Procuradoria. Agora é a Polícia Federal, e não mais o Ministério Público, quem sustenta que o presidente está no topo de uma organização criminosa. O relatório da PF faz um raio-x na atuação do chamado PMDB da Câmara. São quase 500 páginas de uma longa crônica de assaltos aos cofres públicos. O documento descreve falcatruas milionárias na Petrobras, na Caixa Econômica, em Furnas, no Ministério da Agricultura, na Secretaria de Aviação Civil e no Congresso", diz o texto.

"Nesta terça, o presidente ensaiou fazer um pronunciamento para rebater as conclusões do relatório. Assessores conseguiram demovê-lo da ideia. Sem a opção de atacar Janot, ele teria que criar outra teoria conspiratória envolvendo a Polícia Federal, que é subordinada a seu governo.

Por fim, Temer divulgou uma nota em que protesta contra "toda forma de injustiça", chama os delatores de "bandidos" e afirma que "facínoras roubam do país a verdade".

Se o roubo se limitasse a isso, o país ainda estaria no lucro", diz Franco.

Mais Sobre Opinião

 O que as cores nos ambientes falam para nós - Por Elisa Fraga

O que as cores nos ambientes falam para nós - Por Elisa Fraga

Artigo assinado pela arquiteta e urbanista Elisa Fraga, da Guel Arquitetos

Renato Janine Ribeiro: “presidência da República perdeu o respeito da sociedade”

Para o ex-ministro Renato Janine Ribeiro "parte — substancial — da crise que estamos vivendo hoje é o fato de que a presidência da República e seus mi

“Se não fizermos nada haverá cada vez mais desigualdade”

“Se não fizermos nada haverá cada vez mais desigualdade”

Em vários países da OCDE apenas uma em cada quatro pessoas que procuram trabalho recebe algum subsídio, diz Herwig Immervoll, chefe de Políticas Socia