Quinta-feira, 30 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Opinião

Quer olhar bunda de hóspede, monta um hotel!! (II-3)


...Foram alijados do poder porque, decorridos dois anos, convenceu-se Roberto Sobrinho que tinha caído numa esparrela: competência ideológica não gera competência administrativa. Articulação e barulho de campanha não significa necessariamente preparo executivo e garantia de sucesso. Ariel e seu grupo não realizaram seu projeto de inclusão porque se mostraram administrativamente inaptos, desprovidos de visão organizacional, vacilantes na definição de metas de trabalho a curto, médio e longo prazo, ruins na implementação de ações práticas eficientes, péssimos na condução produtiva, coesa e estimulante da equipe de trabalho, inoperantes na consecução rápida de projetos e ineficientes frente à demanda de serviços e empreendimentos culturais a cargo da fundação de cultura. Ou seja, como ideólogos, sumidades; como administradores, um desastre. E não é só o Pierrot quem está afirmando isso, é o que fica claro da análise que o próprio prefeito faz da atuação do grupo de Ariel. Mas não é só isso. Não realizaram seu projeto porque o paradigma de inclusão do grupo é arcaico, ideologicamente puritano, patrulhesco, pré-perestroika, como já dissemos. Enquanto o Comandante Lula faz um esforço danado para compor uma base multipartidária, incluindo aí forças de todas as matizes, para dar sustentação ao governo, aqui o petismo arielesco quer praticar uma política de inclusão só com verdadeiramente pobres, genuinamente operários, verdadeiramente excluídos, originalmente famintos. Numa cidadela como esta, um grupo político ligado à cultura não pode, sob pena de soar basbaque, ostentar defasado puritanismo anti-capitalista, a ponto de separar radicalmente Madeira Festival (o Mal - na visão deles) do Festival dos Beradeiros (o Bem - na ótica deles), porque no fundo é tudo farinha do mesmo saco, só o socialismo de fundo de quintal não se dá conta. Sobrinho sacou a discrepância entre o que se praticava em Porto Velho e o estava sendo pregado em Brasília, e foi buscar um técnico experiente, capaz, bom articulador, professor de música, excelente negociador, inteligente, administrador qualificado, e o fez Presidente da Fundação Iaripuna. Por isso - respondendo outra pergunta - Ariel e sua turma não se mantiveram nos cargos, porque a leitura e prática política que utilizavam se mostraram esdrúxulas aos olhos do prefeito. Não basta a "esperteza" de citar Cazuza fora de foco. Ele tinha o direito de dizer que a burguesia fede porque era genialmente anarquista.

Fonte: Pierrot Apaixonado

Gente de OpiniãoQuinta-feira, 30 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Congresso deixou governo Lula de cócoras

Congresso deixou governo Lula de cócoras

O Congresso tem-se aproveitado da desorganização do governo Lula para impô-lo sucessivas derrotas, como a que aconteceu no início dessa semana, quan

Sangue novo, vampiros e cuequeiro

Sangue novo, vampiros e cuequeiro

As eleições para a Câmara de Vereadores de Porto Velho se têm caracterizado, de tempos a este, pela presença de políticos bastantes conhecidos da po

Prometer e não cumprir é o esporte preferido de muitos políticos

Prometer e não cumprir é o esporte preferido de muitos políticos

Por mais que nos esforcemos para acreditar no que dizem alguns políticos, não adianta, com o tempo, eles próprios se encarregam de nos lembrar que f

Entre a ilusão e a realidade, brilha a verdadeira vida

Entre a ilusão e a realidade, brilha a verdadeira vida

Era uma vez uma mulher chamada Maria que passava grande parte da sua vida entre o adormecer e o acordar. Nos seus sonhos, Maria encontrava mundos

Gente de Opinião Quinta-feira, 30 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)