Porto Velho (RO) sábado, 24 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Parada gay, liberdade de expressão e valores


Parada gay, liberdade de expressão e valores - Gente de Opinião


*Por Bandeira Filho

Jurista por formação, pensador por opção, não podia deixar de trazer neste momento uma reflexão sobre a parada Gay no Brasil. Eu sempre me achei um ser livre de sectarismo, de preconceitos, de intolerância, mas vivemos num tempo de liberdade de escolhas que implica em enormes responsabilidades, que pressupõe a possibilidade de erro e acerto, mas jamais de omissão diante da realidade.

Considero um absurdo entes públicos como a Prefeitura de São Paulo, a Caixa Econômica Federal e a Petrobras gastarem quase dois milhões de reais para que pessoas vá às ruas cometerem crimes, enquanto que não se tem remédios nos postos de saúde. O artigo 208 do Código Penal tipifica como crime o ato de: “Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso”.  

O que temos visto nas manifestações das minorias e que o sentido original da macha tem se desviado, pela falta de respeito a fé e aos valores cristãos. A  imagem de um travesti nu, com uma coroa de espinhos “pregado” a uma cruz sobre um trio elétrico choca. Enfiar um crucifico no ânus, desfilar pelado usando símbolos religiosos como tapa sexo, não são formas de combater a homofobia. Ao contrário, atitudes como essas estimulam a violência, o ódio, a intolerância, a malevolência, pela falta de respeito às crenças e aos valores morais dos demais.

A verdadeira liberdade está além daquelas concedidas pelas leis humanas. Está no caráter ético e moral de cada cidadão.

No cenário rondoniense existem proeminentes homossexuais no mundo jurídico, na política, no meio empresarial, jornalístico, nas classes mais simples. Eles não são medidos não pela sua orientação sexual, mas pela grandeza de seu caráter.

Estes têm a minha admiração.

Não é justo que sacrifiquemos nossa dignidade humana, a nossa forca moral, por aqueles que não se dão respeito. A convivência em sociedade pressupõe o respeito mútuo.

Não podemos confundir liberdade de expressão com ofensa ao direito do outro.

*É advogado militante

Obrigado pela divulgação!

Mais Sobre Opinião

O bom do silêncio

O bom do silêncio

Bolsonaro disse que não adianta exigir dele a postura de estadista, por que não é estadista.

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.