Porto Velho (RO) quinta-feira, 22 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Opinião: Quem procura, encontra



Todas as pessoas bem intencionadas devem ter objetivos claros na vida. Em vista disto, caminham ao encontro daquilo que seja melhor para si mesma e para os outros. Mas não podem perder o “chão” que pisam, e nem o “horizonte” que deve ser alcançado. Tudo deve ter força de esperança verdadeira.

Na vivência cristã, temos como chão a força da Palavra de Deus e da oração, especialmente o “Pai Nosso”, ensinado pelo Senhor. O horizonte, passando por todo um caminho de espiritualidade e de compromisso cristão, é a ressurreição em Cristo, a felicidade eterna nas promessas de Deus Pai.

Não encontramos um horizonte de vida se não passamos pela prática da justiça e do direito. Isto supõe relações de partilha de bens e de perdão autêntico, assumindo responsabilidades no mundo da cultura e dos problemas cotidianos. Não basta a atitude de procura sem uma ação concreta de vida e transformação.

Na procura por algo na vida, além das práticas cristãs, temos os deveres de cidadania, de compromisso com o Estado, com a pátria, e tudo que a envolve, e com os cidadãos. A expressão maior disto acontece nos momentos decisórios, como no voto consciente como força de libertação e vida da nação.

Estamos na hora da procura de muitos de nossos futuros dirigentes. Eles estão por aí, em plena campanha eleitoral. Há o perigo de uma má escolha, de votar em candidatos totalmente desconectados com a Doutrina Social da Igreja e preocupados apenas com o próprio bem e o de seu grupo. Será que merecem seu voto!

Sabemos que não é tão fácil dizer um “sim” comprometido com as prioridades da sociedade, com o futuro do Brasil e por uma democracia mais consolidada. O “sim” com interesses corporativos é um grande prejuízo para o país, refletindo fortemente na vida do povo.

Quem procura, encontra, mas vendo no voto a sua importância decisória, com critérios que devem expressar um verdadeiro compromisso de cristão. Para isto, todo cidadão cristão deve agir envolvido por uma mística de oração.

Fonte: CMBB / Dom Paulo Mendes Peixoto

Mais Sobre Opinião

O bom do silêncio

O bom do silêncio

Bolsonaro disse que não adianta exigir dele a postura de estadista, por que não é estadista.

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.