Porto Velho (RO) domingo, 20 de junho de 2021
×
Gente de Opinião

Opinião

OPINIÃO: MP x Carnaval


Acho muito engraçado quando algumas pessoas resolvem praticar a diarréia mental e tomam atitudes típicas da ignorância que reina pelo país. O carnaval traz bilhões em turismo, perto da subvenção da Prefeitura e do Governo (que também, diga-se de passagem, não corresponde nem a 10% da necessidade de recursos para se fazer um carnaval) se tornam brincadeira de banco imobiliário. Esses bilhões se convertem em aplicações em Saúde, Educação, etc... Particularmente concordo plenamente com a falta de subvenção por outros motivos. Acho uma afronta ter tantos problemas, tanta burocracia e tanta gente que só fala besteira, por míseros tantos mil, quando se precisa de 10 ou 12 milhões para competir com segurança. É muito bonito ficar falando que carnaval tem que ter menos luxo, mais simplicidade e fantasia de forminha de docinho e pet reciclada. Mas o turista paga pelo luxo. Tanto na imagem que chega à sua casa quanto ao que assiste na avenida. Ninguém quer pagar ingresso pra ver fantasia de papel ou desfile simples e criativo. Já que a prefeitura e governo não conseguem fazer uma licitação decente, melhor assim... Fica com seu dinheiro, o carnaval se profissionaliza, os patrocínios entram e acabam essas baboseiras com cheiro de crítica pudico-religiosa. E outra... Garanto que muita cidade metropolitana quer o desfile de carnaval em seu solo. Apoteose já está ultrapassada e nem as Escolas nem a Fesec tem obrigação de desfilar ali... no Sambódromo (QUE NÃO EXISTE?),

O dinheiro público, para ser gasto pelo prefeito, governador ou presidente, deve se submeter à lei vigente. Dinheiro público não pode ser gasto da forma como o governante bem quiser. Este deve prestar contas a população. A lei assim obriga. O Ministério Público apenas buscou o respeito à lei. A aplicação do dinheiro público no carnaval (subvenção) não pode se dar da forma como sempre foi feita, contrária a lei, pois o dinheiro repassado às Escolas de Samba e Bloco Carnavalescos, além de não sofrer qualquer controle quanto ao seu real destino (é voz corrente no samba que boa parte da subvenção não é aplicada no carnaval. Não é a toa que muitas Escolas de Samba estão sempre no vermelho, lotadas de dívidas com fornecedores e profissionais do carnaval), deixa de ser aplicado em outros setores públicos. Os gastos públicos devem ser moralizados, não apenas com o carnaval, mas com todas as áreas (saúde, educação, transporte, etc. As Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos, a FESEC, UNIBLOCOS, Prefeitura e Governo terão que buscar uma forma conforme a lei para subvencionar o carnaval. Existem leis que devem ser cumpridas, até para que possamos cobrar dos governantes. O erro não está na postura do Ministério Público, mas na forma errada como o carnaval sempre foi subvencionado.


Fonte: Amauri Leal

Mais Sobre Opinião

Uma CPI para investigar a CPI

Uma CPI para investigar a CPI

Houve uma época em que CPI era sinônimo da busca da verdade, da correção de rumos. De uns tempos para cá, porém, algumas CPI’s viraram instrumentos

Sentença de morte

Sentença de morte

A princípio não acreditei, mas logo a ficha caiu. E aí, o susto. Meu Deus! Quantas pessoas ainda vão precisar morrer para que alguns de nossos dirig

A luta intercultural numa terra ainda patriarcal + Das andanças da justiça na Quinta Lusitana

A luta intercultural numa terra ainda patriarcal + Das andanças da justiça na Quinta Lusitana

A LUTA INTERCULTURAL NUMA TERRA AINDA PATRIARCALIsraelitas e Ismaelitas lutam por Canaã a terra prometida a AbraãoPor António JustoA guerra faz-se em

Va', pensiero, sull'ali dorate

Va', pensiero, sull'ali dorate

Semana passada, numa espécie de patuscada entre o presidente da Argentina e o premier da Espanha, Pedro Sánchez, foi dita uma frase, deturpada do es