Porto Velho (RO) quinta-feira, 26 de novembro de 2020
×
Gente de Opinião

Opinião

Opinião: A CPI do Cachoeira e o impeachment de Dilma


Opinião: A CPI  do Cachoeira e o impeachment de Dilma - Gente de Opinião 
Por: João Serra Cipriano
  
Os Congressistas decepcionados com a forma indiferente com que a senhora Dilma-PT trata os parlamentos, as avalanches de indícios de roubo do dinheiro público dos últimos nove anos dos governos Lula-PT e Dilma-PT em todas as esferas e ministérios, o fracasso dos aliados nas eleições municipais, principalmente nas capitais, a crise econômica que já afeta empregos, rendas e produção industrial e somando a tudo isso, a bomba corrupta que é o caso do contraventor “Cachoeira” e as suas ramificações com as dezenas de empreiteiras, diga se passagem, doadoras de bilhões de reais aos caixas eleitorais, devem favorecer a um pedido de impeachment no final de 2012.
 
Os malfeitos nunca apurados, a crescente desconfiança da massa eleitoral, as maracutaias e as roubalheiras que foram maiores que os tais benefícios sociais, com reflexos diretos no próximo sufrágio popular (urnas), elegendo, em todo Brasil, prefeitos das capitais ligados ao PSDB e as correntes contrarias as atuais alianças pela governabilidade (corrupção), tudo, poderá sim contribuir para um clima mais desfavorável ao governo do PT e abrir caminho para mudanças radicais.
 
A queda dos (7) sete ministros, todos com fortes indícios de roubalheiras e agora o surgimento de uma dúzia de empreiteiras ligadas ao contraventor ligadas as obras do PAC, com apurações pelo TCU e CGU de irregularidades nos contratos, obras e pagamentos pela União, diga-se de passagem, valores acima de 10 bilhões de reais, além das investigações e apurações da Polícia Federal e os seus desdobramentos, que apontarem diretamente para gente do governo e da base aliada, com as mãos sujas nos seus caixas dois, podem atrair gente honesta da situação, amarrando o impeachment.
 
Todos da base aliada estão gritando e alertando que a CPI, do Cachoeira, vai tocar fogo no cordel de uma bomba retarda dos nove anos do PT e as corrupções expostas pela mídia e pelos milhares de inquéritos e relatórios do TCU. Tais clamores são tão graves e concretos, que obrigou essa semana a senhora Dilma-PT ir à São Paulo e puxar as orelhas do ex-presidente Lula-PT, que vinha dando cordas para que o Congresso efetivamente desse prosseguimento a CPI. Os governadores, senadores e deputados, aliados, com o rabo preso com os grandes empreiteiros ligados ao contraventor Carlinhos, andam reclamando que se tiver que cortar a cabeça de alguém, que seja a da ex-ministra chefe da Casa Civil de Lula e atual presidenta do Brasil. Falam nos bastidores: “Ela construiu esse monstro do PAC, para Elegê-la, e nós, fomos apenas agentes regionais dos esquemas, então, ela que responda por tudo”. 
 
Se depender dos atuais prefeitos, que estão passando por duros apuros em suas gestões, com greves localizadas, obras inacabadas e serviços públicos de ruim à péssimo, devem também contribuir para pressionar os seus deputados e senadores a cair fora da barca furada. Uma pesquisa aponta que Dilma sempre foi indiferente aos municípios, chamado governo Dilma-PT de “Castelo isolado da rainha”. As ministras do atual governo PT agem com total indiferença aos pedidos e emendas dos municípios. As votações importantes do Congresso que vem do governo Dilma, têm perdido as votações, tudo por não conseguir abrir canais de diálogos efetivos com os pequenos pleitos do interior do Brasil. “Só anda nos ministérios, os contratos bilionários ligados aos grandes empreiteiros”.
 
Outra barreira, além da completa indiferença do governo Dilma com o interior, que na prática acabou isolado-a, lá no Palácio do Planalto, sem interlocutores, sem agilidade aos pleitos sociais e com uma carga negativa, de poucos privilegiados à custa de uma bancada enorme, de Congressistas prejudicados, vem o desencadeamento do processo eleitoral, que não permitirá agir em favor dos aliados, que deve também contribuir significamente para a derrota dos aliados nas eleições municipais, pois prometeram melhoria da qualidade de vida, obras e serviços sociais ao povo e até agora, colhem problemas e o caos nas suas bases eleitorais.
 
Mesmo tendo essas pesquisas de popularidade (governo DILMA) pagas pelos grandes banqueiros e magnatas das obras do PAC, a oposição não terá qualquer dificuldade em justificar o impeachment do atual governo, haja vista, os constantes desgastes diários de denúncias de corrupção, os péssimos serviços de saúde, educação, segurança e salários dos aposentados. A oposição certamente contará com a ajuda oculta dos grandes empreiteiros e banqueiros, que são corresponsáveis por essas bandalheiras e que já enxerga no corte da cabeça da senhora Dilma, (impeachment), uma forma de abafar definitivamente as suas ações de subornos aos aliados.
 
A imprensa brasileira tem atuado de forma responsável e ética, tem pautado as suas denúncias de roubos do erário e esquemas envolvendo figurões do governo e do Congresso de forma imparcial, deixando para os leitores, tomarem as suas conclusões.
 
As elites (empreiteiros, contraventores, banqueiros) mesmo publicando pesquisas populistas, dão sinais claros, que a era PT esta caminhado para o abismo da corrupção e estas ondas de investigações, podem atrapalhar as suas fortunas, devendo em breve, redirecionar os seus poderios de informação e mídia, pulando do barco e ancorando seus apoios, num novo nome.
 
O governo Dilma “tem” o apoio da maioria dos Congressistas, porém, as investigações oficiais apontam que a grande maioria dos partidos e políticos, está sim, com o “rabo preso” em doações ilegais, com os empreiteiros, contraventores e banqueiros. “As eleições das capitais é que definirão os rumos do governo Dilma e do caso Cachoeira”.
 
 
Fonte:  João Serra Cipriano - Email: ciprianoserra@yahoo.com.br
 
 

Mais Sobre Opinião

Hildon Chaves deverá vencer as eleições muito facilmente, se a Cristiane não se reposicionar junto aos eleitores

Hildon Chaves deverá vencer as eleições muito facilmente, se a Cristiane não se reposicionar junto aos eleitores

Até o momento, ao que tudo indica, parece que a definição sobre quem será o próximo prefeito ou prefeita de Porto Velho é “favas contadas”. O atual

Respeito a decisão do Vinícius, mas não concordo

Respeito a decisão do Vinícius, mas não concordo

Recebi de um amigo um vídeo em que o candidato à prefeitura de Porto Velho, Vinicius Miguel - em quem votei no primeiro turno da eleição de domingo (1

Os náufragos de 2020

Os náufragos de 2020

Não foi apenas o presidente Jair Bolsonaro que saiu perdendo nas eleições municipais de 2020. A esquerda foi massacrada nas urnas. Exemplo disso é o

O recado das urnas

O recado das urnas

A renovação substancial da Câmara Municipal de Porto Velho, além da decepção causada a muitos dos que atualmente exercem mandato de vereador, há de