Quarta-feira, 29 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Opinião

O salto do turismo rural brasileiro


                                                                                 
Carlos Solera(*)

O Turismo Rural (TR) é uma atividade bem recente no país. Teve inicio no ano de 1986, na região catarinense de Lages, com a entrada das primeiras quatro fazendas neste segmento econômico. No ano de 1994, quando foi fundada a Associação Brasileira de Turismo Rural (Abraturr), já se  identificava cerca de 400 empreendimentos de TR no Brasil. Hoje, 22 anos depois, o número já chega perto das 15 mil propriedades rurais e o setor é o que mais cresce dentro do turismo brasileiro, com uma média de 20% ao ano.

Destas quase 15 mil fazendas, 60% tem até 50 hectares, o que mostra a grande inserção de pequenos proprietários rurais em busca de diversificação e em agregar novos valores a suas atividades tradicionais. O TR gera hoje perto de 500 mil empregos diretos e indiretos no país. Destes, 35% são representados por mão-de-obra familiar e o restante por trabalhadores de origem local/regional. Outro detalhe importante é a presença feminina na condução da maioria dos empreendimentos de TR. A mulher está presente em 92% destas funções.

Hoje a Abraturr está organizada em seccionais em 13 estados brasileiros e temos mais quatro em formação. Até 2010 a projeção é que teremos 20 Associações Estaduais de Turismo Rural. Em um primeiro momento houve um grande impacto na mudança de visão das propriedades rurais brasileiras que passaram a trabalhar com o TR. Este espaço sempre foi considerado como um "feudo" familiar onde imperava a vontade exclusiva do proprietário. De repente, este espaço passou a ser mais "democrático", compartilhado com outros "donos" temporários, os turistas. Esta foi sem  dúvida a primeira grande mudança operada pelo Turismo Rural no cenário campesino nacional.

A seguir, surgiu a necessidade de antigos e novos atores do campo, desenvolver novas práticas que não lhes eram tradicionais, como a  hospedagem e alimentação de pessoas com pagamento de custos, procedimentos  que sempre foram feitos em forma de hospitalidade campeira. Eram novos tempos rurais e a introdução de novas receitas financeiras em propriedades  que já não tinham mais condição de sobrevivência começou a despertar o interesse em muitos produtores rurais de incorporarem esta atividade em suas fazendas.

Assim o campo ganhou uma nova classificação para seus produtos e serviços, como nos mostra a conceituação da atividade: "Turismo Rural é o conjunto de atividades turísticas desenvolvidas no meio rural, comprometido com a  produção agropecuária, agregando valor a produtos e serviços, resgatando e promovendo o patrimônio cultural e natural da comunidade".

Com relação à comercialização, há ainda - em grande parte - um desconhecimento duplo da atividade TR, tanto dentro da fonte comercializadora, como as agencias e operadoras, quanto na fonte produtora, as fazendas de TR. Quem vende não conhece o produto "Turismo Rural" na íntegra e sua grande abrangência e suas especificidades; quem produz (empresário rural) na maioria das vezes não entende a função e trabalho dos atores da comercialização e dificilmente possui uma visão profissional do turismo. Tudo ainda é muito novo, mas gradativamente este sistema de compreensão vem crescendo e temos já boas empresas de comercialização no mercado assim como propriedades rurais com alta demanda turística nacional e internacional.

A 5ª Feira Nacional de Turismo Rural (Feiratur 2008), que acontece de 20 a 22 de novembro em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, tem tudo para ser um fórum de modernização e mola de impulsão para a definitiva profissionalização do setor no Brasil. A qualidade, as inovações e experiência dos expositores, além das informações sobre tecnologia, comercialização e comunicação reservadas para as palestras e painéis deixam a certeza de que o turismo rural brasileiro ganhará mais vida. É aguardar, participar, desfrutar, aplicar e colher os dividendos.

(*) Presidente nacional da Associação Brasileira de Turismo Rural (ABRATURR) – [email protected] – (41) 3243-0908    

Gente de OpiniãoQuarta-feira, 29 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Sangue novo, vampiros e cuequeiro

Sangue novo, vampiros e cuequeiro

As eleições para a Câmara de Vereadores de Porto Velho se têm caracterizado, de tempos a este, pela presença de políticos bastantes conhecidos da po

Prometer e não cumprir é o esporte preferido de muitos políticos

Prometer e não cumprir é o esporte preferido de muitos políticos

Por mais que nos esforcemos para acreditar no que dizem alguns políticos, não adianta, com o tempo, eles próprios se encarregam de nos lembrar que f

Entre a ilusão e a realidade, brilha a verdadeira vida

Entre a ilusão e a realidade, brilha a verdadeira vida

Era uma vez uma mulher chamada Maria que passava grande parte da sua vida entre o adormecer e o acordar. Nos seus sonhos, Maria encontrava mundos

Eita, que cara sortudo esse Zé Dirceu!

Eita, que cara sortudo esse Zé Dirceu!

A persistência é uma das qualidades que eu mais admiro no ser humano. Tem gente que não desiste de jeito nenhum de lutar por seus ideiais, ainda que

Gente de Opinião Quarta-feira, 29 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)