Porto Velho (RO) terça-feira, 20 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

O muro de Brasília


 

O muro de Brasília - Gente de Opinião

Imagem: brasileiros.com.br

Geralmente um muro tem funções e significações de separação e de privatização. Foi assim com o muro de Berlim, que após a segunda guerra, dividiu por anos a Alemanha em duas, gerando sequelas sociais e traumas históricos naquele país. Nesse caso, a divisão cerceava a integração social num sentido de fracionar negativamente, por um ideal desnorteador, a nação alemã.

Infelizmente, ainda nos dias hoje, existem muros que dividem populações, povos, culturas e países. Fronteiras legais, por motivos de segurança e de organização entre os países, de certo modo são necessárias até mesmo por motivos preventivos. Mas o erguimento de um muro simboliza separação, ruptura e divisão. E isso gera entre os países um clima tenso e pesado, ocasionando e gerando nos países envolvidos nessa situação, vontade de ultrapassar e romper tais barreiras representativas.

O Brasil está prestes a assistir o andamento do processo de impeachment do atual governo. O clima político do país é de constante tensão e de instabilidade, o que mostra seu reflexo direto na economia e na estruturação social. Para a votação de domingo próximo na Câmara, que irá encaminhar o processo ao senado com a maioria de votos favoráveis ou não caso não haja maioria necessária, o aparato de segurança em torno e no Congresso está sendo bem preparado.

Para tanto, foi elevado uma espécie de “muro” com o objetivo de separar os manifestantes que são a favor e contra o impeachment. De fato, a função deste muro que lá está é gerar a separação, ou seja, tal condicionamento mostra por si só um país de ideias divididas.

Se por um lado, é salutar que exista a diferença, ainda mais no âmbito de escolhas políticas, por outro lado, a questão em jogo é de primordial importância para a vida do país. E aqui longe de militar com expressões de “impeachment é golpe” ou “impeachment já”, é mais equilibrado e ponderado, não lavar as mãos e ficar em cima do muro, mas analisar o movimento não tendenciosamente e observar qual lado merece e precisa ser adotado.

A geração de eleitores jovens vive um momento ímpar que entrará na história do Brasil, independentemente dos resultados vindouros. Mais do que separação, a união fortalece e gera o convívio necessário que integra e incorpora benefícios num sentido só. Pontes representam bem mais do que muros, e significam exatamente o sentimento de unidade por uma causa. De que lado do muro de Brasília o Brasil está?

Felipe Augusto Ferreira Feijão

Estudante de Filosofia - Faculdade Católica de Fortaleza (FCF)

 

Mais Sobre Opinião

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual