Porto Velho (RO) segunda-feira, 20 de maio de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

O buraco de aprofunda com récorde de desemprego


O buraco de aprofunda com récorde de desemprego - Gente de Opinião

O mundo real responde às especulações, fabulações e propagandas: o Brasil perdeu 43 mil empregos diretos no mês passado, o maior índice negativo nos últimos cinco meses. Não há número mais cruel do que esse. Ele é agravado pela legião dos que têm que buscar a sobrevivência na economia informal, clandestina ou criminosa. E pelos que desistiram de buscar um emprego e estão prostrados em casa, na casa de outros ou na rua.

Por efeito, provavelmente logo aparecerá uma reestimativa para baixo do desempenho da riqueza nacional, com o nono mês de previsão de queda do PIB 2019. Caminhamos para o vácuo de 2016/17/18. Ao fracasso do PT e do MDB, com Dilma e Temer, vem se justar, muito mais cedo do que nem o mais pessimista dos analistas poderia prever, o fenômeno, o mito Bolsonaro, com sua superficialidade e seus filhos arrogantes, que olham mais para a tela do celular (como o pai) do que para o ambiente em torno, atrás de vítimas (agora é o general Mourão), como autênticos predadores carniceiros.

O fundo do poço é mais profundo que parecia para quem olhava do topo do buraco. O Brasil está perdendo mais uma volta do trem da história, que o levaria para cima. Será que os parlamentares - da esquerda, do centro e do além - vão continuar a exibir seu deboche e despreparo diante do furacão de empobrecimento que se aproxima?

Mais Sobre Opinião

Todos gritam, ninguém tem razão

Todos gritam, ninguém tem razão

Idiotas úteis? Bolsonaro poderia, especialmente fora do país, controlar o vocabulário

A hora do vendaval

A hora do vendaval

É uma das maiores investigações financeiras de nossa História

Crônica da morte que falhou

Crônica da morte que falhou

Não gosto de armas: balas aleijam e matam.

Livrai-nos dos amigos

Livrai-nos dos amigos

Bolsonaro teve a sorte de encontrar pesos-leves como Gleisi Hoffmann e Fernando Haddad.