Porto Velho (RO) sexta-feira, 23 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

NATAL: MULHER - O Natal está vinculado a ela



A filha de Sião
   
Dom Aloísio Roque Oppermann 
 
É oportuno lembrar-nos da mulher, síntese do feminino. O Natal está vinculado a ela. O que pretendo dela apresentar, ultrapassa de longe a fantasia da "mulher ideal", presente no mundo masculino. Mas fundamenta-se em fatos pouco abordados. Já no século XIII o grande teólogo escocês Duns Scotus afirmava que o Criador, ao planejar o Universo, pensou primeiro em Cristo, a quem pertenceria toda a obra da criação. Mas em seguida pensou em Maria, não só como a mãe do Senhor do Universo, mas também como o feminino da humanidade e de todos os seres vivos.  O Concílio chamou Maria de Filha de Sião, aplicando a ela o que está em Mt 21, 5. Assim ela foi reconhecida  como a figura do povo eleito, portadora das promessas a serem cumpridas na plenitude dos tempos (LG 55). Com ela os tempos alcançam a sua plenitude.

Quem sabe, estou abusando. Mas o caro leitor não sentirá dificuldades em acompanhar o raciocínio dos teólogos. O que significa a expressão "Filha de Sião"? No seu sentido original se refere a uma parte da cidade de Jerusalém, onde moravam os pobres. No meio da vacilação geral sobre as promessas messiânicas, acarretada pelo exílio babilônico, e pelo aparente fracasso da profecia davídica, essa população dos "anawim" (pobres), era portadora das esperanças de Israel. Era o "pequeno resto", que mantinha as esperanças. Maria foi a herdeira e representante do povo eleito. A representação abstrata de Sião, nela se personifica. Se os filhos de Abraão não percebem a presença do Messias, para nele crer, Maria se torna o lugar da residência divina. Ela deixa de ser apenas uma pessoa isolada, para tornar-se uma entidade coletiva, que acolhe numa fé profunda, as promessas divinas de salvação. Ela porta, verdadeiramente, em sua pessoa concreta, o destino do povo eleito, mesmo se em algumas ocasiões se tenha reduzido a um pequeno grupo. A Mãe do Messias não é uma simples componente da Igreja. Mas todo o mistério do povo de Deus se encontra nela, e tem nela a sua expressão eminente. Ela é a continuação da comunidade vetero-testamentária. Por meio de Maria, Sião deu à luz um povo novo. "Faça-se em mim segundo a tua palavra" (Lc 1, 33) é a maternidade perpétua, e a continuidade da Filha de Sião.

Fonte: CNBB

Mais Sobre Opinião

O bom do silêncio

O bom do silêncio

Bolsonaro disse que não adianta exigir dele a postura de estadista, por que não é estadista.

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.