Porto Velho (RO) domingo, 18 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Mello Franco: novo diretor da PF reforça suspeitas sobre indicação ao cargo


Gente de Opinião

247 - Em sua coluna nesta terça, o jornalista Bernardo Mello Franco destaca como as declarações do novo diretor-geral da Polícia Federa, Fernando Segóvia, sobre a Lava Jato e o Ministério Público reforçaram as suspeitas sobre as motivações de sua indicação já no dia da posse no cargo.

"Apesar do curso de tiro, o novo diretor da Polícia Federal não parece ser bom de mira. Ao estrear no cargo, ele tentou atingir os procuradores que denunciaram seu chefe. Acertou a própria imagem e a instituição que vai comandar.

Fernando Segovia foi ungido por uma coalizão de políticos delatados, como Eliseu Padilha e José Sarney. No discurso de posse, prometeu 'combate incansável à corrupção'. Minutos depois, disse o que os padrinhos desejavam ouvir.

(...)

O delegado errou o alvo porque esqueceu um detalhe: antes de a Procuradoria denunciar Temer, um relatório da PF o acusou de "ter aceitado promessa de vantagem indevida". A polícia concluiu que os R$ 500 mil entregues a Rodrigo Rocha Loures começaram a ser acertados pelo presidente no porão do Jaburu.

Por fim, o novo diretor da PF alvejou a própria imagem. Ao repetir o discurso do governo, ele reforçou as suspeitas de que foi nomeado para "estancar a sangria" da Lava Jato. O delegado só acertou ao dizer que há um "vendaval de dúvidas" sobre o futuro da polícia. Sua escolha ajudou a formar a tempestade."

Mais Sobre Opinião

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual

Vagalumes nas trevas

Vagalumes nas trevas

Mas as trevas não são absolutas: há estrelas, há vagalumes, há réstias de luz