Porto Velho (RO) domingo, 25 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

José Vicente: William Waack cometeu um crime e deve ser punido


José Vicente: William Waack cometeu um crime e deve ser punido  - Gente de Opinião

247 - O professor José Vicente, reitor da Universidade Zumbi dos Palmares, de São Paulo, comentou em entrevista à TV 247 o episódio de racismo protagonizado pelo jornalista William Waack em vídeo que viralizou na internet e resultou em seu afastamento do jornalismo da TV Globo.

"A gente poderia traduzir em mais do mesmo, mas agora com a conotação de que não é mais possível reagir da mesma forma. O racismo e suas manifestações no Brasil se manifesta de forma pública desta e de outras maneiras há muito tempo", disse Vicente, em entrevista com os jornalistas Leonardo Attuch, Paulo Moreira Leite e Florestan Fernandes Júnior. 

Segundo José Vicente, ao afastar William Waack de sua programação, a Globo mostrou que submeteu a uma pressão nacional e internacional da sociedade "de forma acachapante, avassaladora". "Ela não pôde mais dizer como em outras vezes que foi uma 'falha nossa' e deixar por isso mesmo", afirmou. 

"A despeito da qualidade do trabalho deste indivíduo, ele cometeu um crime e um crime que tem ser punido", defendeu Vicente, ao completar que no Brasil se procura argumentos para absolver William Waack em função de sua carreira profissional. 

Ao comentar sobre a estrutura de poder no Brasil, o reitor fala que a hegemonia política do País foi construída em cima de uma hegemonia estética. "Para evitar qualquer contaminação dessa hegemonia, ela se posiciona para delimitar e desqualificar o outro. E o outro neste recorte são os pobres e negros deste País, como sempre foi. Então, nesta perspectiva, ela acaba sendo uma máquina de produzir racismo institucional", afirmou. 

José Vicente é advogado, mestre em Administração e doutor em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba.

Mais Sobre Opinião

A fogueira das vaidades

A fogueira das vaidades

O que até agora era bravata, “não é insulto, é o jeito dele”

O bom do silêncio

O bom do silêncio

Bolsonaro disse que não adianta exigir dele a postura de estadista, por que não é estadista.

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.