Porto Velho (RO) sábado, 17 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Guedes cola grau e clama por mudanças no exame da OAB


Guedes cola grau e clama por mudanças no exame da OAB - Gente de Opinião

José Guedes, um dos autores da Constituição Federal, na qualidade de Deputado Federal Constituinte, colou grau em Direito pela Faculdade Interamericana de Porto Velho, no último dia 15 de agosto.

Guedes foi o orador da Turma Carolina Montai e na oportunidade enfatizou que já fora aprovado no Exame da OAB quando ainda cursava o 9º período, contudo ressaltou a necessidade de urgentes mudanças no Exame de Ordem.

O futuro causídico apontou como medidas urgentes a serem adotadas pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil a possibilidade de revisão das decisões da Banca Recursal que julga os recursos interpostos contra os resultados das provas objetiva ou prático-profissional.

Guedes fundamenta essa necessidade informando que, mesmo tendo sido aprovado no Exame da OAB, recorreu do resultado e ganhou mais um ponto. E se houvesse possibilidade de reforma, a exemplo do que ocorre no Poder Judiciário, a pontuação, bem provavelmente, seria majorada ainda mais. Portanto, é lógico deduzir que muitos examinandos  foram injustamente reprovados.

O Bacharel em Direito clama também ao Conselho Federal da OAB-Brasil que dispense os aprovados na primeira fase de repetirem o exame quando não aprovados na segunda fase, pois não se trata de concurso público, mas de exame para habilitação profissional. E essa adequação depende única e exclusivamente do Conselho Federal.

É preciso perceber que a forma e o formato do Exame de Ordem privilegia a agilidade e acaba por afastar do exercício profissional  da Advocacia os Bacharéis que não conseguem compatibilizar agilidade com meticulosidade. Aí também se incluem as pessoas portadoras de limitações físicas e também as atingidas por bloqueios psicológicos.

Guedes concluiu seu discurso conclamando a população para lutarem pelos seus direitos e abandonarem essa cultura brasileira do “deixa prá lá” porque como disse Rudolf Von Ihering “Toda pessoa que se vê obrigada a afirmar o seu direito, participa neste trabalho nacional e contribui na medida de suas forças para a realização do direito sobre a Terra”, enquanto Rui Barbosa bradou: “Quem não luta pelos seus direitos, não é digno deles”.

Fonte: Nelzira Guedes

Mais Sobre Opinião

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual

Vagalumes nas trevas

Vagalumes nas trevas

Mas as trevas não são absolutas: há estrelas, há vagalumes, há réstias de luz