Porto Velho (RO) quinta-feira, 15 de novembro de 2018
×
Gente de Opinião

Opinião

ENSAIOS


Campanha "O BRASIL PRECISA LER".

O livro é essencialmente um instrumento cultural de difusão de idéias, transmissão de conceitos, documentação, entretenimento ou ainda condensação e acumulação de conhecimento.

Como resultado da péssima qualidade do ensino nas escolas brasileiras "75% dos adultos tem alguma deficiência para escrever, ler e fazer contas, o que acarreta um efeito devastador sobre a sua capacidade de se expressar". (Exame nº 19 – 27/09/2006).

Quer contribuir efetivamente para o desenvolvimento do Brasil? Leia.

"Os homens experientes do mundo sabem muito bem que é melhor pagar até o último vintém as dívidas à medida que vencem, e que uma pequena frugalidade pode custar. Aquele que toma emprestado avança em seu próprio débito."

Emerson é considerado o pioneiro da independência intelectual americana. Em lugar de exaltar, como era de hábito, as virtudes domésticas, o conformismo diante dos padrões estabelecidos, o respeito irrestrito e submisso às velhas tradições e aos costumes herdados de além-mar, ele se dirigia a cada um dos seus ouvintes como indivíduo. Chamava a opinião pública de vaidade.

Fundador do transcendentalismo americano, de tendência panteísta, doutrina segundo a qual só o mundo é real, sendo Deus a soma de tudo quanto existe, pregou o desprezo das riquezas materiais e um amor a Deus fundamentado na alegria.

Além da sua obra "A Conduta para a Vida", entre outras, escreveu seus célebres "Ensaios", (1841 e 1844), que constituem a expressão mais característica de tudo o que produziu literariamente.

"Ensaios", traz uma seleção dos principais textos de Emerson, recheado com reflexões e meditações. Faz parte da coleção a Obra-prima de Cada Autor, da editora Martin Claret (www.martinclaret.com.br), 2003, 245 páginas, com tradução de Jean Melville.

Seus textos falam de Caráter: "É uma desgraça recorremos a fatos para confirmação da nossa palavra e dignidade". De História: "O fato narrado tem de corresponder a algo em mim para ser acreditável e inteligível. Todos nós, ao lermos, precisamos nos tornar gregos, romanos, turcos, sacerdote, rei, mártir, algoz; precisamos fixar essas imagens em alguma realidade em nossa experiência íntima, ou então nada aprenderemos corretamente". De Autoconfiança: "Acreditar em vosso próprio pensamento, acreditar que aquilo que é verdadeiro para vós, no fundo de vosso coração, é verdadeiro para todos os homens – isso é o gênio".

Falam, também, de Compensação: "Em todos os elementos da natureza encontramos polaridade, ou ação e reação". De Leis Espirituais: "A sinceridade é o único modo de falar e escrever que não passará jamais de moda". De Amor: "Um amante é querido pela humanidade inteira". De Amizade: "Sem que eu os procurasse, meus amigos me encontraram". De Prudência: "Morrerá aos poucos aquele que desdenha das coisas pequenas". De Heroísmo: "O heroísmo sente, nunca raciocina, e por esse motivo sempre está certo". "Faz sempre o que tens medo de fazer".

Seus ensaios nos dizem: "Em cada ato da alma, inefável é a união de homem e Deus", quando escreveu sobre A Alma do Mundo. Nos disse também: "Um homem verdadeiro nunca o adquire segundo regras aprendidas no colégio", escreveu sobre Intelecto.

E por fim, seu ensaio sobre Arte nos faz refletir quando disse: "Nas paisagens, o pintor deve sugerir uma criação mais formosa do que a conhecemos. Ele deve omitir os detalhes, a prosa da natureza e nos dar apenas espírito e o esplendor." "Àquilo a que visavam e prometiam é oferecido nosso melhor elogio, e não ao resultado da mão".

É um livro fascinante. Só não refletirá que não o ler.

Ralph Waldo Emerson viveu entre 1803 a 1882. "Viver, deixar viver e ajudar a viver". Mais uma pérola: "Que cada homem se preocupe com seu trabalho e que cada homem respeite o trabalho de seus semelhantes".

ENSAIOS – Ralph Waldo Emerson
Sérgio Ramos
  (www.sergioramos.com.br)

Mais Sobre Opinião

O general da banda chegou 68 anos depois - Por Alex Solnik

O general da banda chegou 68 anos depois - Por Alex Solnik

Quatro anos depois do fim do Estado Novo, a marchinha mais cantada no carnaval de 1950 foi uma composição de apenas duas estrofes assinada por três au

SÉRGIO MORO, O NOVO ALVO, A NOVA ESPERANÇA  - Por  Ana Clara Machado

SÉRGIO MORO, O NOVO ALVO, A NOVA ESPERANÇA - Por Ana Clara Machado

Ana Clara Machado*Até há poucos dias, as pessoas de bem deste país, que querem dias melhores para todos, estavam muito preocupadas com um possível ata

Boff perdoa Ciro e ensina que é possível falar com o coração e não com o fígado

Boff perdoa Ciro e ensina que é possível falar com o coração e não com o fígado

"A diferença entre Boff e Ciro é que o primeiro vive em novembro de 2018, a dois meses do Coiso tomar posse. Ciro vive em 2022", diz o jornalista Rica

O COISA-RUIM - Por Carlos Santiago Dantas

O COISA-RUIM - Por Carlos Santiago Dantas

 O COISA-RUIMCarlos Santiago DantasO velho PT continua o mesmo. Mas coisa ruim é assim mesmo. Mudar para melhor não faz parte do seu DNA. Ao em vez de