Porto Velho (RO) terça-feira, 24 de maio de 2022
×
Gente de Opinião

Opinião

DESCORTINANDO A VERDADEIRA GUAYARAMERÍN


 DESCORTINANDO A VERDADEIRA GUAYARAMERÍN - Gente de Opinião

Depois que voltei a morar na Pérola do Mamoré - minha terra natal - tenho ido com mais frequência passear na cidade de Guayaramerín, Bolívia. Lá procuro fazer o que 99% dos turistas, visitantes e sacoleiros não fazem, que é conhecer e usufruir daquilo que há de mais interessante e delicioso na cidade irmã da Pérola do Mamoré, qual seja: sua gente e sua cultura.

A cultura, a história e as pessoas que moram na cidade Guayaramerín, são invisíveis para turistas, muambeiros e analfabetos estéticos, que invadem a cidade hermana com o voraz propósito de consumir tudo que encontrar pela frente, sem qualquer senso e responsabilidade de consumo. Chegam de suas cidades de origem apenas para comprar tudo o que é de bugiganga pirateada “mede in china”.

Para quem quer comprar ou consumir qualquer produto, verdadeiramente boliviano, capaz de traduzir o espírito e a alma da Bolívia e de seu povo, neste caso, os caminhos são outros e não passam, necessariamente, pela Calle Federico Román, via de fluxo comercial intenso de Guayaramerín, onde está sediada a maioria das lojas que vendem todo tipo produtos e quinquilharias (quase sempre falsificadas), importadas da China.

Neste último domingo, dia 5, mais uma vez fui até a cidade de Guayaramerín, Bani, acompanhado de Jamyle Vanessa (minha irmã que veio passar o Reveillon em família), e da Professora Lilian da Silva Ferreira, que conhece a cidade co-hermana como a palma de sua mão. Não deu outra e, mais uma vez mergulhei nas tradições, cultura e cotidiano dos nossos irmãos bolivianos.


DESCORTINANDO A VERDADEIRA GUAYARAMERÍN - Gente de Opinião
 

Ciceroneados pela Professora Lilian, começamos o passeio tomando algumas cervejas parcenãs no Bar Veintiocho, localizado na Calle Sucre, subesquina com Calle Oscar Ú de La Vega. E enquanto degustávamos um dos melhores produtos genuinamente boliviano – a cerveja parcenã – e falávamos sobre diversos assuntos e sobre algumas pessoas de feitos maravilhosos – e de outras gentinhas de procedência e postura ordinárias - também escutávamos uma banda musical, afinada, tocando cancioneiros bolivianos, ali bem próximo. Depois de algumas cervejas, já encorajada, a Professora Lilian resolveu tirar a limpo onde acontecia tal festa.

Ao voltar, nossa espiã deu poucas informações, como é do perfil dos agentes secretos. Continuamos a beber parcenãs. Depois de uma dúzia, já muy borracha, nossa cicerone nos intimou a comparecermos na festa dos hermanos, pessoas que se quer conhecíamos.

‘De penetra’, fomos nos chegando, com a maior cara de pau, e nos abancando na festa alheia. O fato é que fomos todos muito bem recebidos pelo anfitrião, sua família e amigos. A bandinha que animava a festa, em homenagem aos ‘penetras, logo passou a tocar samba da melhor qualidade. E aí foi tudo festa.

A acolhida maravilhosa foi realizada pelo filho do anfitrião, Engº. Luiz Pablo Roca Frota, que nos apresentou a todos e nos conduziu até a uma mesa farta, quando fomos convidados a comer. Prato principal: farofa de tortuga no casco (aqui também chamada de “peta” de rio), acompanhada de vários outros pratos deliciosos também feitos de tortuga (tartaruga). Comi despreocupadamente, afinal aqui não é proibido o consumo e, menos ainda, não há IBAMA na cidade irmã da Pérola do Mamoré.

E assim vou descortinando e conhecendo a verdadeira cidade de Guayaramerín, reconhecendo sua gente, compreendendo o multiculturalismo deste povo e experimentando os seus mais genuínos costumes.

Fonte: Ariel Argobe
 

Mais Sobre Opinião

A arte de questionar + O batalhão Azov rendeu-se + A adesão da Finlância e Suécia à nato possibilita o controlo dos usa sobre a Rússia

A arte de questionar + O batalhão Azov rendeu-se + A adesão da Finlância e Suécia à nato possibilita o controlo dos usa sobre a Rússia

A ARTE DE QUESTIONAR Uma sociedade-ideologia-opinião que não se questiona não avança O filósofo Sócrates usava do método maiêutico (arte de realizar

Rondônia: um dos estados mais violentos do Brasil

Rondônia: um dos estados mais violentos do Brasil

Rondônia se apresenta, hoje, como um dos estados mais violentos da federação. Essa afirmação não é minha. Quem garante isso é o Núcleo de Estudos da

Dr. Santana, obrigado!

Dr. Santana, obrigado!

Se tem uma coisa que me deixa extremamente desconfortável é com a danada da ingratidão.  Aprendi,  desde tenra idade,  que, quem dá geralmente não es

Finlândia e Suécia solicitam precipitadamente a admissão à nato + Família + Eurovisão da canção 2022 - Ucrânia

Finlândia e Suécia solicitam precipitadamente a admissão à nato + Família + Eurovisão da canção 2022 - Ucrânia

FINLÂNDIA E SUÉCIA SOLICITAM PRECIPITADAMENTE A ADMISSÃO À NATO50° Aniversário da Política alemã de Mudança através de AproximaçãoCom a solicitação