Porto Velho (RO) domingo, 18 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Artigo: SUPERMERCADO



Bruno Peron Loureiro

 Fiz uma visita ao supermercado. Há quem passeia nele e os que são mais objetivos. Prefiro a segunda opção. Quis sentir, nesta ocasião, o que a disposição dos produtos nas estantes tinha para me dizer.

É um lugar de consumo a que recorro semanalmente porque os produtos geralmente são mais baratos quando vendidos em grande quantidade, encontra-se quase tudo o que se busca no interstício de poucas estantes, e a relação entre produto e consumidor é mais ágil e direta que nos mercados tradicionais.

O mercado, vale notar, difere do supermercado. O primeiro é aquele que se desenvolveu tradicionalmente e depois se converteu nos Mercados Municipais, onde os preços não estão sempre fixados nos produtos, rola muita pechincha, gritaria e desordem, mas tem seus atrativos; o segundo é aquele que a vida moderna ordenou segundo as necessidades mais completas e prementes do consumidor.
 
A visita foi a um supermercado qualquer, num dia qualquer, um horário qualquer. Descobri o que já desconfiava. O moderno tem um porém. O consumo nos cala e inebria.
 
Na seção de iogurtes: Batavo, Chandelle, Danette, Parmalat, Vigor, Elegê, Chamyto, Ninho, Danone, Molico, Kissy, Leco, Danup, Activia, Biofibras, Danoninho, Frutap, Nesvita, Batavito, Corpus. E se nosso poder de compra for baixo?

Na seção de refrigerantes: Coca-cola, H2OH!, Pepsi, Guaraná Antarctica, Dolly, Schin, Kuat, Fanta, Sukita, Sprite, Soda. Precisamos de tudo isso que nos vendem?
 
Na seção de chocolates: Lacta, Garoto, Laka, Shot, Hershey`s, Diamante Negro, Kinder, Lindt, Crunch, Bis, Chokito, Charge, Sonho de Valsa, Toblerone, Alpino, Talento, Diplomata, Casino, Twix, Snickers, Arcor Amêndoas. Como ser cidadãos se nos querem como consumidores?
 
Na seção de massas: Nissin Lámen, Qualitá, Fugini, Miojo, Vono, Maggi, Knorr, Taeq, Adria, Penne, Divella, Barilla. Quem nos informa sobre o significado de democracia?
 
Na seção de bolachas: Trakinas, Negresco, Bono, Recheadinho, Chocooky, Prestígio, Recreio, Chocolícia, Passatempo, Break Up, Danix, Damadas, Maizena, Tostines, Club Social, Triunfo, Cream Cracker. Que embalagem nos convence de qual é o estilo de vida mais saudável?

Na seção de xampu: Seda, Garnier Fructis, Pantene, Elsève, Phytoervas, Clear, Dove, Ox, Éh, Palmolive, Aquamarine. Algum produto realiza todas as promessas de sua publicidade?

É uma experiência estonteante percorrer as estantes de supermercado e dar-se conta da quantidade de marcas e produtos que buscam alcançar nossos anseios, gostos e preferências. Se metade do que se dispõe nesses corredores for necessário para a sobrevivência, já é muito.

Sem querer fazer apologia a algumas marcas em detrimento de outras, visualizei as estantes e transcrevi imagens e sensações nos parágrafos anteriores. Tentei expor em palavras algo como uma foto que mostra somente um fragmento da cena.
 
Recolhi as mensagens que os produtos transmitem e os rótulos que demandam um consumidor que caia na armadilha. Estive atento à carta implícita que redigem as estantes de supermercado. Elas me interpelam quando vou quase sempre ingenuamente a este espaço de consumo.

Não recomendo esta experiência a ninguém. Melhor não sentir o que estas estantes têm a dizer. Melhor pegar o que precisa e ir embora. Chega o momento em que elas me deixam atônito, inebriado e silenciado. O moderno exige uma nova postura.

Fonte: Bruno Peron Loureiro é bacharel em Relações Internacionais.

Mais Sobre Opinião

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual