Porto Velho (RO) sábado, 24 de outubro de 2020
×
Gente de Opinião

Opinião

ARTIGO: Responsabilidade sócio-ambiental e econômica


Responsabilidade sócio-ambiental e econômica da Petrobras, de universidades federais e organizações não governamentais brasileiras na Amazônia Ocidental

Falberni de Souza Costa[1]

Dois eventos abordando a responsabilidade socioambiental e econômica de empresas do setor de produção e transporte de gás e petróleo, de pesquisa científica, e de organizações não governamentais – ONG's marcaram a segunda quinzena de outubro de 2006, com destaque para a Petrobrás que patrocinou, em todo ou em parte, ambos os eventos. O primeiro evento aconteceu em Porto Velho e o segundo no Rio de Janeiro, ambos com oportunidades importantes de desenvolvimento de pesquisas na Amazônia Ocidental.

O evento de Porto Velho foi realizado no dias 17 e 18, no Hotel Vila Rica, denominado de "I oficina do projeto Potenciais Impactos Ambientais do Transporte de Gás Natural, Petróleo e Derivados na Amazônia Ocidental" – PIATAM OESTE, em parceria com a Fundação Universidade Federal de Rondônia – UNIR. Estiveram presentes representantes regionais e nacionais da Petrobrás, pesquisadores da UNIR e da Universidade Federal do Acre – UFAC, Campus Floresta de Cruzeiro do Sul, e dirigentes de ONG's.

O PIATAM foi desenvolvido inicialmente na Universidade Federal do Amazonas – UFAM, posteriormente na Universidade Federal do Pará – UFPA como PIATAM MAR, e atualmente nos estados de Rondônia e Acre como PIATAM OESTE, pretendendo envolver também a Amazônia Ocidental. O PIATAM é produto do avanço do entendimento dos efeitos das atividades antrópicas sobre a natureza, com o surgimento de programas dirigidos para a Gestão Ambiental, imprescindível no âmbito das alterações promovidas pelo homem no ambiente, sobretudo no sistema climático da Terra. Nessa direção, o projeto PIATAM procura consolidar essa modificação na forma do homem se relacionar com o ambiente, estabelecendo uma rede de instituições de pesquisa, voltadas para a solução e mitigação desses efeitos e com a preservação da natureza, procurando gerar informações científicas no campo das ciências naturais, socioambientais e econômicas, e também ampliar suas relações institucionais e áreas de atuação, visando à promoção do desenvolvimento sustentável. O PIATAM OESTE é uma iniciativa interinstitucional que visa gerar conhecimento e apoiar projetos que propiciem melhorias socioambientais e econômicas na área de atuação da Petrobrás na Amazônia Ocidental, envolvendo a geração, sistematização, análise e difusão de informações de qualidade, por meio de construção de séries históricas necessárias ao monitoramento ambiental, visando à elaboração de mapas de sensibilidade ambiental, subsidiar planos de contingência e contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável da região. A idéia principal é trabalhar o homem nas questões da educação, saúde e da cultura indígena, com visão voltada às ciências sociais e à saúde, o que vai ao encontro da linha de atuação da Petrobras no que se refere à sua responsabilidade socioambiental e econômica, destacou o coordenador acadêmico do PIATAM OESTE, Dr. Ene Glória, reitor da UNIR.

O principal objetivo do evento foi promover a uniformização das informações e a capacitação dos integrantes do PIATAM OESTE sobre o uso do programa "MS Project", da Microsoft, ferramenta virtual para integração e gestão de atividades, que será utilizado no PIATAM OESTE para definição das ações do projeto, facilitando, organizando e direcionando a pesquisa dentro de um programa previamente estruturado. Foram promovidas discussões sobre as linhas de pesquisa, atribuições e responsabilidades dos coordenadores de áreas e coordenadores institucionais da Petrobras, e apresentada versão preliminar do Manual de Gestão do projeto. Também foram formados os grupos de pesquisa compostos por pesquisadores tanto da UNIR quanto da UFAC e das ONG's, exibidos filmes sobre projetos que já estão em desenvolvimento, como o monitoramento de tartarugas pela Ecovale (Associação Comunitária Quilombola e Ecológica do Vale do Guaporé), o CineAmazônia (Mostra Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental), e o robô ambiental híbrido da Petrobras para coleta de amostras para análise em locais de difícil acesso.

Uma vez compostos os grupos de pesquisa e definidas as metas de cada grupo, a próxima etapa do projeto será a apresentação do projeto no âmbito da Petrobras, para análise e aprovação, e alocação de recursos financeiros para implementação dos subprojetos.

O segundo evento foi realizado no centro do Rio de Janeiro, de 24 a 27 de outubro, no prédio da Petrobras da Avenida República do Chile, 65, denominado de "Seminário Internacional sobre Seqüestro de Carbono e Mudanças Climáticas", para interação e debate do assunto entre os mais renomados especialistas, cientistas e representantes de instituições de todo o Globo. Estiveram presentes representantes do Governo Brasileiro e da Petrobras, pesquisadores de empresas petrolíferas internacionais, de universidades brasileiras e do exterior, e dirigentes de ONG's também brasileiras e internacionais. A presença dos representantes do Governo Brasileiro no Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (Inter-governamental Panel on Climate Change – IPCC) foi destaque. A energia como uma necessidade básica humana foi a premissa fundamental do evento, portanto sendo necessária a sua disponibilidade a todos assegurada no longo prazo, sob condições ambientais aceitáveis. Dirigido para profissionais com atuação relacionada com controle e redução de emissões de gases de efeito estufa (greenhouse gases), seqüestro de carbono, meio ambiente, desenvolvimento sustentável e energia limpa, o objetivo do seminário foi apresentar, discutir e disseminar o estado-de-arte do conhecimento sobre a tecnologia de seqüestro de carbono, bem como de conceitos sobre mitigação da mudança climática global, a capacitação tecnológica no Brasil especialmente em captura e armazenamento de dióxido de carbono (CO2), e também a avaliação do seqüestro de carbono como uma alternativa à mudança do clima.

O evento foi dividido em 12 sessões, abordando temas como o seqüestro de carbono em companhias produtores de petróleo e energia; políticas para o seqüestro de carbono, regulação e créditos de carbono; separação, captura e armazenamento de CO2; fixação de carbono na biomassa, projeto e parcerias para o seqüestro de carbono; e percepção do público quanto ao tema em debate – o seqüestro de carbono.

Esses tipos de eventos são de grande importância para os pesquisadores da Amazônia Legal Brasileira, uma vez que a região é um dos últimos reservatórios de biodiversidade animal e vegetal do Planeta Terra, apesar das atividades intensas de desmatamento corrente. Conhecer a Amazônia em detalhe como forma de prevenir, mitigar e remediar impactos ambientais das atividades antrópicas, e seu papel nas mudanças climáticas globais é de relevância para a região e para a Terra.

Fonte:
[1] Engenheiro Agrônomo e Doutor em Ciência do Solo. Professor Adjunto e pesquisador da Universidade Federal do Acre, Campus Floresta, Cruzeiro do Sul, Acre, e participante do PIATAM OESTE, e seminarista do Seminário Internacional sobre Seqüestro de Carbono e Mudanças Climáticas.

Mais Sobre Opinião

Corporativismo quer salvar o mandato do senador cuequeiro

Corporativismo quer salvar o mandato do senador cuequeiro

Quando se trata de fazer arranjos políticos, o Congresso Nacional não deixa por menos – com as devidas exceções -, apesar de essa não ser uma caract

Para quem tem cloroquina, quem se importa com vacinação?

Para quem tem cloroquina, quem se importa com vacinação?

Diante de severas crises que costumam abalar as Nações, tudo que se espera dos seus governantes, são ações, atitudes e comportamentos sensatos, equi

Campanha eleitoral não empolga eleitor

Campanha eleitoral não empolga eleitor

Em novembro próximo, o eleitor de Porto Velho terá um encontro marcado com as urnas. Vamos escolher prefeito e vinte e um vereadores. A campanha, poré

Tributo ao ativista e abolicionista contemporâneo, Dr. Wllian Johnes - Presidente da Ordem dos Bacharéis do Brasil- OBB

Tributo ao ativista e abolicionista contemporâneo, Dr. Wllian Johnes - Presidente da Ordem dos Bacharéis do Brasil- OBB

Mas uma vítima do trabalho análogo à de escravos a escravidão moderna da OAB, acaba de tombar. Com tristeza tomei conhecimento que no último dia 16.10