Porto Velho (RO) sexta-feira, 23 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

A primeira lambança do PSDB no governo do PMDB


Gente de Opinião

 

Repercutiu negativamente ao governo do presidente interino Michel Temer (PMDB) a suposta tentativa do ministro de Relações Exteriores do Brasil, José Serra, do PSDB, de propor ações comerciais conjuntas com o Uruguai em troca de que o país estendesse sua presidência rotativa no Mercosul como forma de impedir que o cargo seja assumido pela Venezuela.

Muitos estão chamando o ato tucano de puro “golpe”, a exemplo do que ocorreu com o desfecho do pedido de impedimento da presidente afastada Dilma Rousseff (PT). A suposta tentativa de golpe  ganhou repercussão após a declaração feita pelo presidente da Venezuela, Nicolas Maduro. Por outro lado, muitos apostam que a presidência de Maduro no comando do Mercosul seria um verdadeiro fiasco.Gente de Opinião

O que está em jogo, nesse momento, não é o futuro do Mercosul. O que se discute nesse momento é a forma política de tratar a presidência do Mercosul. Embora a proposta de Serra não tenha sido aceita pelo presidente do Paraguai,  Tabaré Vázquez, respigou para o governo Temer a repercussão negativa do Brasil perante o bloco.

Segundo matéria jornalística produzida pelo jornal de economia “Valor Econômico”,  Brasil e Paraguai consideram que Caracas está impedida de liderar o bloco por não ter incorporado todo seu acervo normativo, após um encerramento de quatro anos para fazê-lo. O Uruguai, entretanto, entregou a presidência dias depois, deixando-a vaga.

A suposta tentativa de “golpes” patrocinada pelos tucanos nos remete a um fato histórico. Brasil, Paraguai e Argentina formam uma “nova Tríplice Aliança”, como a da Guerra do Paraguai, em que brasileiros, uruguaios e argentinos dizimaram o país vizinho no Século XIX. Esse fato foi muito bem lembrado pela reportagem do Valor Econômico, em sua edição da última terça-feira.

Se for confirmada essa pretensão do ministro José Serra, não será novidade à população brasileira.  Está cada vez mais evidente que o estilo do governo do PSDB governar, pelo que se desenha nesse momento, sempre foi no sentido de buscar a união de forças e enfraquecer o adversário. Recentemente o Brasil testemunhou a união de forças entre PMDB e PSDB, afastando Dilma Rousseff do comando da presidência.  O ritual parece se repetir na disputa pela presidência do Mercosul.

Mais Sobre Opinião

O bom do silêncio

O bom do silêncio

Bolsonaro disse que não adianta exigir dele a postura de estadista, por que não é estadista.

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.