Porto Velho (RO) terça-feira, 20 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

A importância do Dia dos Pais


Professor Nazareno*

Ao que tudo indica, o Dia dos Pais tem uma origem bem semelhante ao Dia das Mães e em ambas as datas, a ideia inicial foi praticamente a mesma: criar dias consagrados para fortalecer os laços familiares e o respeito por aqueles que nos deram a vida. Claro que nesse lindo dia o comércio se enche de orgulho para faturar mais e contribuir para a alegria das pessoas já que todos ficam felizes e emocionados. Essa atitude tão sublime é uma invenção cristã, ainda bem, e foi comemorada pela primeira vez nos Estados Unidos. Praticamente o mundo inteiro hoje se rende a esta comemoração mais do que justa àqueles que nos sustentam com o suor de seus lindos rostos. Ser pai é acima de tudo compactuar com a singeleza e a abnegação de ser um grande líder do lar. Só pode ter sido Deus, o Todo-Poderoso, o incentivador desta data.

A emoção de se viver um dia tão importante como este faz qualquer um chorar de tanta alegria e satisfação. Na minha casa, por exemplo, o dia de ontem me fez chorar várias vezes tomado pelas emoções e grandes sentimentos. Ganhei muitos presentes de meus amados filhos e tive o prazer de ouvir lindas poesias e declamações belíssimas. Sempre procurei ser um pai exemplar e ensinei meus lindos pupilos a pedir desculpas toda vez que arrotassem, a evitar flatulências na frente dos outros e principalmente a pedir a bênção aos mais velhos. Ontem, fui acordado com o cântico “Parabéns para você” e não há dinheiro que pague ver meus lindos meninos fazendo coraçõezinhos com as mãos. Todos alegres e cantando. Difícil observar tudo aquilo e não ficar com lágrimas nos olhos. A alegria nesse dia contagiou todos aqui em casa. Até os gatos.

Muitas vezes nós não sabemos, mas temos muitos pais. Além do meu pai biológico, tenho os meus padrinhos que são como verdadeiros pais. Eu amo de coração os meus padrinhos. Temos também os nossos amigos que quando mais velhos nos dão excelentes conselhos e por isso funcionam como pais também. Nesta data tão singela devíamos cantar parabéns para todos os pais do mundo. Seria muito emocionante e também faríamos justiça para com todos eles. Além desses pais, tenho também Deus, o meu maior Pai. Por isso que meus filhos fazem festa aqui em casa todo Dia dos Pais. Oramos muito a Deus e pedimos sempre mais graças e somos sempre atendidos. O meu pai e todos os pais do mundo são os homens mais importantes na vida de todas as pessoas. Devemos agradecer a Deus por termos um pai. Como somos felizes.

Meu pai me ensinou a fazer lindas poesias: “papai me veste e me faz carinho/ e me ensina um modo de eu ser bonzinho”. Ou então: “papai me ama e reza comigo/ e ouve as historinhas que eu sempre digo”. O amor de pai é como o de mãe: é e será sempre infinito. Ao som de Luan Santana, Ludmila Ferber, Padre Zezinho, Gustavo Lima além de outros heróis e grandes compositores da MPB e da música Gospel, fizemos uma linda festinha aqui no domingo, Dia dos Pais. Antes de começar a festa, oramos a Deus e pedimos felicidades para todos. Cantamos também o lindo e maravilhoso hino Céus de Rondônia. Fiquei surpreso, pois não sabia de nada. O ponto alto das brincadeiras foi a abertura dos presentes. Ganhei um lindo jogo de cuecas samba-canção. Foi tão emocionante como numa festa de amigo oculto. Todo mundo devia comemorar o Dia dos Pais. É, talvez, a data mais importante para nós homens. 

*É Professor em Porto Velho.

Mais Sobre Opinião

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual