Porto Velho (RO) sexta-feira, 23 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

2018 - Façam sua apostas ! Por Jotta Junior


2018 - Façam sua apostas ! Por Jotta Junior - Gente de Opinião

Jotta Junior
 

2018 - Façam sua apostas !

Estamos em 2017, porém as discussões e especulações, da campanha do ano que vem, já fazem parte do bastidores políticos rondoniense.
Na questão da eleição majoritária, todos os postulantes, esperam a posição do governador Confúcio Moura.
Vejam bem, assim que as eleições de 2014, se encerram o palanque vencedor, formado por PMDB-PSB-PDT, reelegeu o governador Confúcio e o senador Acir Gurgacz.
A partir daquele momento, a candidatura à governo em 2018, do senador Acir era dita como a postulação oficial do governo peemedebista.
Certo ?

Bom, pelo menos teoricamente, mas em se tratando de política, as coisas não são tão simples assim e o que parece líquido e certo, passa as ser uma conta que não fecha.
Posterior as isso o PMDB, trouxe ao partido um pretenso candidato majoritário para 2018, trata-se do presidente da ALE - Assembléia Legislativa do Estado de Rondônia, Deputado Maurão de Carvalho.

O senador Acir, passou a ter uma candidatura independente, que soma-se a sua pretensão o apoio pré-anunciado do PSB de Mauro Nazif, Daniel Pereira e Jesualdo Pires.
Certo ?
Depende ! ! !
Ocorre que o governo Confúcio, pretende disputar uma das cadeiras ao Senado da República e que para que isso aconteça ele deverá, renunciar o cargo de governador e sendo assim assume o governo de Rondônia o vice-governador Daniel Pereira - PSB.

Resultado o senador Acir volta a estar isolado, pois difícil acreditar que Daniel Pereira, sendo governador não dispute a reeleição.
Restaria ao senador, como outrora se aliar ao desgastado PT que sempre acompanhou Acir em suas campanhas ou vejam bem buscar uma aliança com ou PSDB de Expedito Junior.
Certo ?
Depende ! ! !

Depende da performance administrativa dos prefeitos tucanos.
Hildon Chaves - Porto Velho, Joãozinho Gonçalves - Jaru e Luiz do Trento - Rolim de Moura, podem se obterem sucesso nas respectivas administrações municipais,  encorajar o PSDB em ter uma chapa puro sangue e disputar o governo do estado, sepultando assim uma aliança com o senador Acir.

2018, nos reserva muitas disputas nos bastidores e quase todas alternativas passam pela decisão de renúncia do governador Confúcio Moura.

Quando digo quase todas alternativas é porque tem outra candidatura que podemos discutir caso a justiça permita ser registrada.

Estou falando da candidatura do Senador Ivo Cassol - PP,  caso saia candidato o ex-governador,  tocador de obras, administrador e dinâmico, poderá mudar todas as postulações, pois existem pré-candidatos que afirmam que caso Cassol seja candidato, as suas pretensões podem mudar, o que sabemos é que enfrentar Cassol em uma campanha majoritária estadual é uma missão ingrata, apesar de ser truculento o senador tem cara de governador e gosta de governar, podem até discordar mais o povo gosta de se sentir governado.

Bom fato é, que, as eleições de 2018, passam por duas decisões; uma pessoal de Confúcio, se renúncia ou não e a outra se o senador Cassol, consegue registrar sua candidatura à governo.

Vamos continuar observando, escutando e atento aos bastidores da política rondoniense.
A eleição é só o ano que vem mais as articulações e a construção de alianças já são discutidas nesse momento.

Nesse momento é o que penso, mas na política, nada é definitivo e permanente e este quadro, pode e vai mudar muitas vezes até as convenções de 2018.

Jotta Junior

Mais Sobre Opinião

O bom do silêncio

O bom do silêncio

Bolsonaro disse que não adianta exigir dele a postura de estadista, por que não é estadista.

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.