Porto Velho (RO) segunda-feira, 20 de setembro de 2021
×
Gente de Opinião

Municípios

ROLIM DE MOURA: Mutirão combate caramujo africano



Programa municipal reuniu centenas de voluntários para a catação do molusco que se tornou praga no município


Na semana passada Rolim de Moura viveu seu dia “D” no combate ao caramujo africano. A superpopulação do molusco obrigou as autoridades em saúde do município a organizar um intenso programa de combate ao animal que se tornou praga em boa parte da cidade. Para evitar a transmissão de doenças, a proposta foi reunir voluntários e catar manualmente os animais, para incineração. A meta não é só diminui-los em número, mas conscientizar a comunidade.

O trabalho começou às 06h do último sábado, 18, com concentração na frente do ginásio de esporte do bairro Olímpico. A região foi escolhida para a primeira etapa da ação, por ser a mais atingida pelo achatina fulica, nome ciêntífico dessa espécie de caramujo. Ao menos 200 pessoas, entre agentes comunitários, universitários e lideres de entidades vestiram luvas e pegaram sacos plásticos para a coleta. Foram mais de três horas de trabalho intenso casa à casa.

“É uma experiência, um teste que estamos fazendo. Acredito que não vamos conseguir acabar completamente com eles, mas pelo menos vamos diminuir bem a incidência. O melhor é a conscientização. Foi muito bom ver os próprios moradores pedindo as luvas para ajudar na catação”, lembrou Abílio Ikesire, coordenador do programa municipal de combate ao caramujo.

A estimativa das secretarias de saúde e agricultura do município é que esse primeiro arrastão do caramujo tenha coletado mais de duas toneladas do molusco. O volume teve que ser transportado até o aterro sanitário da cidade em um caminhão basculante. Lá, os animais que já estavam acondicionados em cal virgem, foram incinerados. A proposta, segundo o próprio prefeito do município, é agir enquanto é tempo e evitar que a praga se alastre.

“Existem cidades por aí que já não conseguem mais fazer um trabalho como esse. Vamos fazer novos arrastões, mas o principal, o trabalho diário terá que ser feito pelos moradores. Vamos organizar coletas semanais desse caramujo, mas isso tem que vir com a limpeza dos terrenos baldios, dos quintais, porque nós só vamos acabar com essa infestação se trabalharmos juntos”, explicou Tião Serraia, em seu discurso ao final das atividades.

O caramujo africano gigante foi trazido ao Brasil ilegalmente na década de 1980, por pesquisadores do Paraná. O objetivo era torna-lo comestível, como uma espécie de esgargot brasileiro. As primeiras experiências não deram certo, por causa das doenças provocadas pela mucosa do molusco. O experimento foi abandonado e os indivíduos que estavam na fazenda experimental se proliferaram, invadindo e migrando para praticamente todo o território nacional.

Fonte: Gregório Max

Mais Sobre Municípios

ANAC concede Certificado Operacional ao DER do Governo de Rondônia para o Aeroporto de Ji-Paraná

ANAC concede Certificado Operacional ao DER do Governo de Rondônia para o Aeroporto de Ji-Paraná

O Governo de Rondônia, por meio do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem e Transportes (DER), recebeu da Agência Nacional de Aviação Civil (A

Inscrições em conferência sobre urbanização e envelhecimento saudável seguem abertas até sábado

Inscrições em conferência sobre urbanização e envelhecimento saudável seguem abertas até sábado

A Conferência Livre PVH50+, promovida por iniciativa do Centro de Estudos e Pesquisas de Direito e Justiça, selecionada pelo Ministério do Desenvolvi

Sine Municipal de Porto Velho realiza cadastro de jovens na Associação Luz do Alvorecer

Sine Municipal de Porto Velho realiza cadastro de jovens na Associação Luz do Alvorecer

Com o propósito de fazer o cadastro de jovens aprendizes para encaminhá-los ao primeiro emprego por meio da Intermediação de Mão de Obra (IMO), equipe

Empenhado: Buritis recebe R$ 800 mil para iluminação em LED, ciclofaixa e fabricação de bloquetes

Empenhado: Buritis recebe R$ 800 mil para iluminação em LED, ciclofaixa e fabricação de bloquetes

O presidente Alex Redano (Republicanos) confirmou a destinação de R$ 800 mil em recursos para Buritis, assegurados através de seu mandato junto ao G