Porto Velho (RO) terça-feira, 15 de junho de 2021
×
Gente de Opinião

Municípios

Rio Machado transborda, alaga comunidades e registra o maior nível desde fev de 2008


  
Daniel Panobianco – A chuva não deu trégua durante todo o sábado em grande parte de Rondônia. Naturalmente, esta é a época em que mais chove no sul da Amazônia; Época também de cheia nos rios e enchentes. Há pelo menos um ano, o nível do rio Machado, em Ji-Paraná, não registrava níveis preocupantes como agora.

A cidade dispõe de uma estação telemétrica operada pela ANA (Agência Nacional de Águas), que, além do nível do rio, registra o volume de chuva e vazão de água a cada hora. Todas essas informações são repassadas a um sistema de monitoramento, chamado HidroWeb, que distribui os pontos de alertas de cheias e/ou vazantes, nas bacias monitoradas. No caso de Ji-Paraná, a subida no nível do rio Machado nas últimas 5 horas, deixa em alerta não apenas as autoridades, bem como a população ribeirinha e de bairros que alagam em anos de enchente.

O último maior nível até então registrado no rio Machado, em Ji-Paraná, ocorreu no dia 6 de fevereiro do ano passado, com 10,38 metros. Na ocasião, alguns bairros ficaram alagados e famílias foram retiradas de suas casas pelo temor de uma subida ainda maior. Neste sábado, a régua do sistema HidroWeb marcou 10,30 metros às 18 horas (local), acompanhando uma elevação de em média, 4 centímetros por hora. Vários pontos ao longo do leito do rio, principalmente próximo a ponte, na rodovia BR-364, já foram tomados pela água, mas moradores locais ainda permaneciam em suas casas até o inicio da noite.

Nos últimos anos, a situação de enchente na região tem se limitado apenas às áreas que sempre registram alagamentos, como pontos no bairro Urupá e outras comunidades situadas às margens do rio.

Em Ji-Paraná, o volume de chuva registrado na estação da SEDAM, em uma faculdade particular, foi de 62,5 mm, sendo a totalidade registrada entre as 6 e 15 horas (local) deste sábado. Já na estação da ANA, às margens do rio, a chuva acumulou no mesmo período, 72 mm.

Em Cacoal, também houve registro de alagamentos em virtude da chuva. Dados da estação da SEDAM indicaram precipitação de 63,2 mm. Já na estação automática do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia), foram registrados 59,0 mm. A chuva também caiu intensa em Pimenta Bueno, onde o nível do rio Pimenta – um dos principais formadores do Machado – está 1,15 metros acima do normal, de acordo com dados oficiais de outra estação da ANA, localizada no sitio Bela Vista.

A previsão, mesmo que a chuva cesse nas próximas horas, é de que o rio Machado continue a subir, devido às chuvas fortes que caíram em grande parte da Zona da Mata e nos afluentes dos rios Urupá e Mucuí, na região de Alvorada d' Oeste. Toda essa água, por regra, passa por Ji-Paraná, antes de seguir o curso natural.

Ao todo, Ji-Paraná possui uma grande população residente em área ribeirinha ou de risco. São mais de 12 mil pessoas que sofrem, quando o nível do rio ultrapassa a marca dos 10,50 metros.

A maior enchente já registrada em Ji-Paraná ocorreu em fevereiro de 1986, quando o nível do rio atingiu a marca recorde de 19,50 metros, inundando 80% da área do que é hoje, o Segundo Distrito da cidade, Zona Leste. Mais de 50 mil pessoas foram afetadas pela enchente, direta ou indiretamente.

Dados: ANA – SEDAM – INMET
Fonte: De olho no tempo
Foto: ilustrativa/Efrain Caetano/arquivo

Mais Sobre Municípios

Equipes de obras realizam serviços em 11 bairros de Porto Velho

Equipes de obras realizam serviços em 11 bairros de Porto Velho

Equipes de obras da Prefeitura de Porto Velho seguem em ritmo acelerado nesta segunda-feira (14), com serviços estruturantes em 11 bairros. Elas reali

Presidente Alex Redano comemora o início das obras de asfalto do Tchau Poeira em Ariquemes

Presidente Alex Redano comemora o início das obras de asfalto do Tchau Poeira em Ariquemes

Em pleno domingo (13), foram iniciadas as obras de asfaltamento do programa Tchau Poeira, do Governo do Estado, em Ariquemes. O início dos trabalhos