Porto Velho (RO) segunda-feira, 21 de setembro de 2020
×
Gente de Opinião

Municípios

Governador comprova melhorias no Hospital de Cacoal


 

Tomar conhecimento de toda essa problemática de perto fez com que o governador Confúcio Moura chamasse pra si a responsabilidade de mudar, fazer com que o hospital respondesse por aquilo que foi idealizado para a saúde em Rondônia: atender ao povo rondoniense, dando-lhe o apoio necessário, de forma objetiva e precisa.  Após um encontro realizado em fevereiro deste ano, na cidade de Cacoal com a presença de representantes da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), da própria unidade hospitalar, além da Procuradoria Geral do Estado (PGE) e parlamentares, o governador Confúcio Moura estabeleceu metas, exigindo o cumprimento real e em tempo hábil, que levaram a mudança administrativa constatada atualmente no atendimento hospitalar voltado a população. Um anseio de décadas atendido pelo Governo da Cooperação.

Durante a visita de vistoria ao Hospital Regional de Cacoal nesta quinta-feira (27), o governador Confúcio Moura acompanhado pelo secretário de Estado da Saúde (Sesau), Williames Pimentel, e o adjunto, Luiz Eduardo Maiorquim, comprovou a mudança no funcionamento da unidade Hospitalar, que hoje é referência no tratamento cirúrgico em Rondônia.  Após a implantação dessas medidas preventivas até mesmo o atendimento e o trato com os pacientes mudaram.

“Constatei isso andando pelos corredores, conversando com os pacientes que aguardavam para serem atendidos. O hospital não lembra mais aquele do passado. Vamos caminhar nesse sentido em busca de adequar a saúde pública do Estado em favor do cidadão”, declarou o governador Confúcio Moura, durante a vistoria.

HOSPITAL REGIONAL DE CACOAL

Construído há vinte anos, o HRC só começou a funcionar pra valer como deveria em 2011, na administração do governador Confúcio Moura, após a realização de adequações na construção civil do prédio que havia sido inaugurado sem condições de funcionamento, passando a suprir a carência de serviços assistenciais de alta complexidade em saúde no interior do Estado.

A unidade hoje atende aproximadamente 830 mil habitantes, o que representa 53% de toda a população rondoniense. Sua estrutura física é composta de 24 blocos instalados em 18.500 metros quadrados de área construída, onde abriga cerca de mil profissionais da saúde, constituindo-se no maior hospital público do interior do Estado.

“Percorrer o interior do Hospital Regional de Cacoal é ter a impressão de andar em um hospital privado, com estrutura impecável, sistema de ar em todos os ambientes, higienização de acordo com as normas estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), equipamentos de última geração em pleno funcionamento, não mais se deteriorando enquanto havia necessidade de uso pelos usuários como acontecia no passado”, afirmou Williames Pimentel.

De acordo com o coordenador do hospital, Marco Aurélio Vasques, dos pacientes atendidos de março a maio, apenas 15 seguiram para Porto Velho. “O que leva a crer que os pacientes já não precisam ir longe em busca de atendimento, pois podem resolver aqui mesmo em Cacoal”, informa.

O FIM DA ESPERA PELAS CIRURGIAS

Entre as metas estabelecidas pelo governador consta que as cirurgias fossem realizadas com agilidade, evitando com que os pacientes frequentassem infinitamente a fila de espera.  E o resultado chegou. “Estabelecemos uma meta de dobrar os procedimentos. Antes tínhamos uma média de 150 cirurgias mês, atualmente esse número foi elevado para 381, gerando ganhos satisfatórios e com qualidade. Os dados correspondem a fevereiro e março, início das metas.”, afirma Marco Aurélio Vasques.

“E não tem fila mesmo. O que se vê aqui, no máximo, são pessoas aguardando sentadas”, disse Consuelo Dias, moradora de Rolim de Moura, enquanto aguardava a mãe que passava por um procedimento cirúrgico para a retirada da vesícula.

ATENDIMENTO BÁSICO

Uma das medidas determinadas pelo governador é referente aos serviços prioritários, como o atendimento básico, onde a relação com o médico se estende à residência do paciente. “Um ponto positivo é a busca do governador pelo realinhamento dos serviços oferecidos, evitando tumultos desnecessários na porta do hospital”, destaca o secretário da Saúde de Rondônia.

A melhoria não é notada apenas no atendimento que é dado aos pacientes, mas também no que se refere à qualidade dos trabalhos desempenhados pelos servidores da saúde.  “Se estamos satisfeitos, consequentemente o resultado será positivo e com ganhos nas nossas funções”, enfatiza a coordenadora do Setor de Admissão e Transferência do HRC, Keila Silva. Ela enfatiza a queda nos índices das transferências, que antes ocorria com frequência para Porto Velho. “Basicamente o que chega aqui de demanda está sendo resolvido por nós, resultado de uma auto-suficiência”, destaca.

Outro ponto forte que levou o HRC a atingir ganhos favoráveis consiste na valorização dos servidores. “O governo do Estado vem investindo em cursos que atendem as necessidades dos profissionais que lidam diretamente com a saúde, refletindo consideravelmente na melhoria dos serviços oferecidos”, informa o coordenador do hospital, Marco Aurélio Vasques.


REFERÊNCIA EM SAÚDE PÚBLICA

Com os ajustes em dia, a meta do governo do Estado é transformar o Hospital Regional de Cacoal em um centro de referência voltado para a saúde pública de qualidade em Rondônia. Com isso os hospitais João Paulo II e Hospital de Base deixam de ser as portas de entrada para pacientes vindos de todos os municípios, pondo fim a sobrecarga destas unidades, que passarão a atender de forma compactuada de acordo com suas demandas.

O agricultor Adilson Luiz Lang, que mora em Urupá, fraturou o braço direito após cair de uma altura 12m. Sem informação, ele foi direto a Ji-Paraná onde recebeu os primeiros-socorros. Sem ter o atendimento que gostaria, o agricultor seguiu para Porto Velho. Chegando ao João Paulo II, os médicos constataram que a necessidade do agricultor poderia ser resolvida em Cacoal, o que aconteceu. “Gastei em tempo. Agora é aguardar o momento da minha cirurgia”, informa o agricultor.


APROVADO PELOS PACIENTES

Nos próximos dias a dona de casa Maria Rodrigues, de 68 anos, será submetida a uma intervenção clínica para a retirada do útero.  Ela é de Cerejeira e conta que é a primeira vez que procura o hospital. “Fui bem atendida, estou apenas aguardando para marcar e realizar alguns exames”, explicou.

A dona de casa Márcia Laurindo saiu do município de Corumbiara e percorreu 300 km para chegar a Cacoal onde, hoje (28), deverá se submeter a uma cirurgia para a retirada das amídalas. “Não é a primeira vez que procuro o Hospital Regional de Cacoal, mas todas as vezes me atenderam muito bem. Não tenho críticas, pelo contrário, elogio o atendimento com nota 10 pelo trabalho que esse governo vem fazendo pela saúde”, destaca a paciente.

O elogio de Márcia foi comprovado pelo governador Confúcio Moura durante a visita realizada nas alas e leitos. “Pacientes sendo bem tratados, funcionários satisfeitos com o resultado do trabalho é o objetivo da nossa gestão. É essa qualidade de atendimento e serviços que estamos levando para todas as unidades de saúde do Estado”, finalizou Confúcio Moura.


DADOS TÉCNICOS

O Hospital Regional de Cacoal possui 193 leitos, sendo 142 para internação; 27 para Unidade de Terapia Intensiva (UTI); oito para recuperação pós-anestésica (RPA); 14 para observação/urgência e dois para procedimentos ambulatoriais.


A unidade hospitalar possui 18 consultórios médicos, seis salas cirúrgicas e 776 servidores no total.

Texto: Emerson Barbosa
Fotos: Marcos Freire
Fonte: Decom

Mais Sobre Municípios

Semusa promove ações de valorização da vida para profissionais de saúde

Semusa promove ações de valorização da vida para profissionais de saúde

Setembro é o mês de intensificação das ações de prevenção ao suicídio através da campanha Setembro Amarelo. Em um ano de pandemia, com o isolamento

Prefeitura de Rolim de Moura: Nota de pesar Doutor  Renê

Prefeitura de Rolim de Moura: Nota de pesar Doutor Renê

É com profunda tristeza que a prefeitura de Rolim de Moura (RO) comunica o falecimento do médico Renê Alfredo Delgadillo Salgueiro, vítima da COVID-

Doações do Imposto de Renda beneficia entidades sociais de Ji-Paraná

Doações do Imposto de Renda beneficia entidades sociais de Ji-Paraná

A Prefeitura de Ji-Paraná, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolesce